Brasil, o imenso “balcão” de negócios dos honestos patriotas

(Foto: Reprodução/ Câmara dos Deputados)

Pra dizer a verdade pensei em vários títulos antes de começar esse texto. Ele poderia ter sido intitulado: “Por que cassaram Dilma mesmo hein?” Pensei ainda no título: “Os patriotas honestos que têm até orçamento secreto”. Ou ainda: “Bolsonaro e o Centrão, aquele que sempre chamou de ladrão”. E quase ponho o título: “Num era fechar o Congresso, era pagar!”.

Qualquer desses títulos ficaria de bom tamanho, já que todos eles mostram bem no que o Brasil se transformou depois que os bem-nascidos, cristãos, cidadãos de bem, honestos, homens de família e patriotas chegaram ao Poder.

Brasil acima de tudo! Mas o Brasil está cada vez mais ladeira abaixo, com gasolina que já chegou a R$ 8 reais em alguns Estados; botijão de gás a mais de R$ 100 reais; inflação recorde, a maior em 27 anos, superando 10% em um ano; dólar a mais de cinco reais; quase 15 milhões de desempregados e mais de 33 milhões de pessoas com subemprego, aquele não qualificado, de remuneração muito baixo, ou emprego informal, sem vínculo ou garantia, sem direito a nada. O aumento da cesta básica chega a mais de 38% . A fome assola o País. Será que estamos na Venezuela?

E lembram quem era a incompetente, era a Dilma! Pra dizer a verdade, as expressões eram bem mais chulas e agressivas: Ôooo! Mulherzinha burra! Se Dilma era burra, com a gasolina a R$ 2,69 (dois reais e sessenta e nove centavos), Bolsonaro é o quê? Se Dilma foi chamada de corrupta sem a filha ter uma mansão de R$ 6 milhões, o que dizer do presidente honesto e patriota, Messias Bolsonaro, cujo filho ficou milionário e comprou uma mansão meses depois do papai virar presidente?

Mas isso ainda é o que o povo chama de “café pequeno” diante de um Brasil em que a única justificativa para cassarem uma presidente foi as tais pedaladas. Como o Radar também é cultura vamos continuar explicando que “pedaladas fiscais” são um apelido usado para operações que não estão previstas na legislação. Elas são configuradas quando o Poder Executivo realiza uma manobra fiscal para cumprir determinadas metas orçamentárias, atrasando o repasse de gastos para bancos públicos e fazendo parecer que existe um equilíbrio entre gastos e despesas nos cofres.

Se já foi um golpe dos mais canalhas – pra não dizer expressão bem pior – cassar Dilma por algo que um presidente já tinha feito anteriormente, no caso Fernando Henrique Cardoso, o que dizer das pedaladas de mais de R$ 55 bilhões do presidente Messias Bolsonaro em 2019?

Bolsonaro não só tem pedalado como tem recebido carta branca do Congresso Nacional pra fazer todo tipo de coisa, dar calote nos credores e ultrapassar o teto dos gastos públicos. Esse é o mesmo Congresso que um dia Bolsonaro, seus filhos e sua trupe juraram fechar, dizendo ser composto por ladrões, que só representavam gastos pra nação, não serviam pra nada. Mas que fechar qual nada! Acho que Messias Bolsonaro estava querendo dizer pagar e não fechar! Nunca se viu uma harmonia tão grande entre os ladrões e os patriotas honestos.

Enquanto o Brasil sucumbe econômica e socialmente, enquanto pessoas disputam ossos pra comer, não há qualquer disputa entre o governo Bolsonaro e parte do Congresso Nacional. A extrema direita virou Centrão, tá todo mundo do mesmo lado. Bolsonaro está no PL de Waldemar da Costa Neto, aquele ao que classificou de “corrupto e condenado” num post nas redes sociais em 2018. Agora o post sumiu, logicamente! Como sempre a imprensa foi esculachada como mentirosa. Mas quem estava mentindo mesmo hein?

Bolsonaro se une a Waldemar da Costa Neto, o mesmo condenado no Mensalão, investigado na Operação Porto Seguro e citado por propina no Petrolão. Governo e congressistas todos em paz, com mais de R$ 20 bilhões de um orçamento secreto, cuja destinação desta verba é feita de forma sigilosa, sem que o povo saiba pra onde vai o nosso dinheiro. Os bilhões são rateados entre eles a partir de acordos políticos. É o “Bolsolão”, como está sendo chamado, algo parecido com um “Mensalão” só que muito mais caro pra Nação e mais repugnante, um acordo dos mais espúrios.

Enquanto isso falta dinheiro pra saúde, há cortes na educação, na ciência e na tecnologia. Precisa cortar custo pra sobrar dinheiro pro Bolsolão e pro Auxilio Brasil que garante a reeleição!