Brasileiros são presos por destruir e defecar em sítio arqueológico

O Departamento Descentralizado de Cultura do Peru denunciou nessa segunda-feira (13) seis turistas estrangeiros (4 homens e 2 mulheres) que foram flagrados após invadirem o Parque Arqueológico Nacional de Machu Picchu.

Os turistas eram 2 de nacionalidade argentina, outros 2 de nacionalidade chilena, também havia um brasileiro e uma francesa. Até o momento, não foi revelada a identidade de nenhum dos acusados.

Segundo o informe, os turistas foram encontrados por volta das 5h50 de domingo (12) no setor do mirante do Templo do Sol. Eles teriam entrado ilegalmente no local durante a madrugada, cometendo crime de atentado contra o patrimônio cultural da nação. Também foi informado que no local foi encontrado com alguns destroços, incluindo alguns artefatos valiosos que foram completamente destruídos. O comunicado também diz que foi encontrado material fecal dos turistas em meio aos destroços.

O diretor do Parque Arqueológico Nacional de Machu Picchu, José Bastante, pediu que as investigações “sejam feitas o mais rápido possível, para determinar as responsabilidades dos infratores e as sanções de cada um deles”.

O Departamento de Cultura de Cusco lançou um comunicado pedindo aos visitantes, peruanos ou estrangeiros, que respeitem e ajudem a proteger o patrimônio arqueológico de Machu Picchu e que estuda solicitar das autoridades do país um aumento das penas para os que cometam ações como as que realizaram os seis turistas presos neste fim de semana.