Briga entre pai de aluno e professor na escola Dom Milton será investigada pelo 6º DIP (ver vídeo)

Um vídeo encaminhado ao Radar flagra o momento em que um pai de aluno parte para cima de um professor que ministra aulas de filosofia na Escola Estadual Dom Milton Correa, na Cidade Nova, zona Norte da cidade. A cena foi gravada por estudantes que acompanhavam a briga que ocorreu na manhã de segunda-feira (16). Veja o vídeo abaixo.

Em nota, a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) informou que tomou conhecimento do vídeo em que o professor Ivan Viana é agredido pelo pai de um aluno nas dependências da escola. Segundo a secretaria, para resguardar os direitos do professor, a gestão da escola orientou que fosse registrado um Boletim de Ocorrência (B.O) no 6º Distrito Integrado de Polícia (DIP), cabendo à pasta prestar apoio na investigação policial.

A Seduc ressaltou que também foi acionada a Ouvidoria para que sejam tomadas as medidas administrativas cabíveis, resguardando o direito do estudante sem punição pelo comportamento individual do pai. A pasta da Educação disse que foi marcada nesta terça-feira (17), uma reunião com os envolvidos e a Ouvidoria da Seduc para tratar dos encaminhamentos necessários.

Segundo a Seduc, o professor agredido relatou que a discussão teve início por conta da insatisfação do pai com o fato do professor ter chamado a atenção do filho, um aluno de 16 anos que cursa o 2º ano do Ensino Médio.

Versão do Pai

Para um portal local, o pai do estudante disse que a confusão teve início por conta de uma perseguição do professor contra o aluno. Segundo o pai, o professor é um grande defensor da liberação da maconha, e seu filho, como toda família, seria contra os argumentos defendidos pelo professor.

“Minha família tem uma postura muito crítica quanto ao consumo de drogas, mas, não temos problemas com quem é a favor. Pelo fato de meu filho ter a postura contra a liberação da maconha, passou a ser perseguido por esse professor”, disse o pai do estudante.

O pai do estudante afirmou que já havia conversado por várias vezes com a direção da escola, mas, nada mudou em relação ao comportamento do professor com o seu filho. “Meu filho está com problemas de notas baixas por conta da perseguição desse professor. Na sexta-feira (13), novamente fui falar com a diretora da escola, mas, não encontrei a gestora. Então, na segunda-feira, tentei conversar com o professor, e disse que se ele continuasse com a perseguição eu iria denunciá-lo na Seduc, no Ministério Público (MP-AM) e na imprensa. Foi quando o professor começou a me agredir verbalmente, e numa atitude de querer me ‘murrar’, eu fui para cima do professor, de forma que me defendesse dos ataques”, disse o pai.

Versão do Sindicato

Em nota, o Sindicato dos Professores e Pedagogos de Manaus (Asprom-Sindical), repudiou a agressão sofrida pelo professor de Filosofia Ivan Viana.

Conforme o sindicato, o pai do aluno enfureceu-se ao tomar conhecimento de que seu filho estaria sendo transferido da escola por continuar com mau comportamento, mesmo tendo sido advertido inúmeras vezes.

“Por discordar da medida tomada pela escola, o pai do aluno partiu para a agressão contra o professor, desferindo empurrões e chutes, não fosse o professor Ivan correr para tentar proteger-se a situação teria sido bem pior. Uma professora que tentou impedir a agressão ao professor Ivan também ficou machucada”, disse sindicato.

Ainda na nota, a Asprom disse que não pode aceitar o desrespeito e agressão verbal, psicológica ou física contra professores e exigiu que medidas cabíveis fossem tomadas pelos órgãos competentes a fim de resguardar a segurança do professor e dos demais educadores que vivem sob situação de insegurança nas escolas.