Britânicos podem viajar para Portugal a partir de 2.ª com teste negativo

REUTERS/Toby Melville

REUTERS/Toby Melville

As viagens não essenciais entre Portugal e o Reino Unido voltam a ser permitidas a partir das 00h00 da próxima segunda-feira.

Os turistas britânicos precisam apenas de teste PCR negativo feito 72 horas antes do voo para entrar no país.

A decisão governamental será tomada hoje, disse à Lusa fonte do gabinete do ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva.

Até agora, apesar de Portugal ter sido colocado na lista verde do Reino Unido de países seguros para viajar a partir do dia 17 de maio, as autoridades portuguesas ainda não tinham decidido se levantavam ou não a proibição de viagens de países terceiros, imposta pela União Europeia (UE).

Depois de dias em que as agências de viagens e companhias aéreas viram a procura por voos para o nosso país disparar, a imprensa britânica levantava dúvidas sobre a possibilidade de os turistas ficarem ‘à porta’, perante a notícia de que o Governo português decidiu prolongar a Situação de Calamidade até ao final do mês.

A decisão chega a apenas a três dias da inclusão de Portugal na lista verde do Reino Unido, o que significa que os britânicos não têm de cumprir quarentena depois das férias no nosso país.

Entretanto, um comunicado em inglês do Turismo de Portugal refere-se à decisão que vai ser tomada hoje pelo Governo, acrescentando que com capacidade aérea de, “pelo menos”, 21 aeroportos “reforçada pela elevada procura deste mercado, as opções são amplas para os turistas britânicos visitarem Portugal, a partir de qualquer ponto”.

O PSD tinha pedido hoje esclarecimentos ao Governo sobre as atuais limitações às viagens não essenciais para a União Europeia, a poucos dias do levantamento de restrições de viagens do Reino Unido para Portugal, alertando para um “cenário de incerteza”.

Em declarações aos jornalistas na Assembleia da República, o deputado do PSD Cristóvão Norte lembrou que, “a 07 de maio, o Reino Unido levantou as restrições a viagens não essenciais para Portugal”, colocando o país, “por razões epidemiológicas, na ‘lista verde’ e, desse modo, “permitindo a retoma da atividade turística”.

Recorde-se que várias companhias aéreas, como a EasyJet, adicionaram milhares de lugares à ligação entre os dois países na sequência da forte procura de viagens para Portugal.