Busca por testes dispara, mas não há garantia de final de ano sem covid-19

Foto: iStock

Às vésperas das festas de final de ano, o volume de buscas por testes rápidos em farmácias voltou a apresentar recorde: na primeira quinzena de dezembro, foram realizados 110.046 exames, índice superior aos 108.801 da última semana de novembro. Os dados são de um levantamento feito pelo UOL junto à Abrafarma (Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias).

Desde abril, as farmácias já realizaram mais de 1,5 milhão de testagens. Foram 1.548.508 testes em 2.456 farmácias, com 233.496 resultados confirmados (15,08%) e 1.315.012 negativos (84,92%). A alta nos números é relevante por mostrar um padrão de comportamento de paulistanos que buscam resultados negativos antes das tradicionais reuniões de Natal e Ano Novo. Não existe, contudo, nenhuma medida capaz de impedir totalmente a transmissão de covid-19.

É o caso de Mayara*, que foi convidada para um camarote em uma boate na zona sul. Segundo ela, testes serão disponibilizados para as presenças “vips” — Ela será testada no dia da confraternização.

“Uma festa que só vai entrar quem tiver negativado no teste. A gente queria que todos pudessem ir sem esse medo, se divertir, abraçar os amigos. Mas as notícias só mostram que os casos estão aumentando. Não dá para ir sem fazer o teste. Se der positivo a pessoa não entra. Vai funcionar assim”, disse a jovem, que é moradora do Morumbi.

Já Claudio*, diz que tem viagem marcada para o réveillon no litoral e que todos convidados farão teste antes da viagem. “A casa é grande, comporta até 30 pessoas. Todos que testarem negativo estarão dentro. Foi um ano difícil, a gente precisa comemorar que estamos vivos”.

De acordo com a Abramed (Associação Brasileira de Medicina Diagnóstica) a busca por testes em laboratórios teve alta de 25% nos últimos 30 dias, entre novembro e a primeira quinzena de dezembro.