Cabo da PM é preso após estuprar duas mulheres em Manaus

Foto: Divulgaçāo / Polícia Civil

Na noite do último sábado (03), o Cabo da PM Evandro Abess Farah Neto, foi preso por policiais do 26º Distrito Integrado de Polícia, suspeito de estuprar e ameaçar duas mulheres em Manaus. Os crimes ocorreram no ano de 2020.

A primeira vítima que teve a identidade preservada, relatou à Polícia que foi abordada pelo PM na Avenida José Henrique. Evandro teria apontado uma arma de fogo para a vítima e obrigado a mesma a entrar em seu carro, onde o estupro aconteceu.

No decorrer das investigações, a Polícia identificou outra vítima, uma estrangeira que foi abordada por Evandro nas proximidades da Rodoviária de Manaus. Ela relatou que também foi ameaçada e obrigada a entrar no veículo do PM, onde o estupro foi consumado.

O mandado de prisão contra ele estava aberto desde outubro do ano passado, mas só foi cumprido neste final de semana. O suspeito foi capturado rua Franz Schubert, bairro de Flores, Zona Centro-Sul de Manaus.

Ficha suja

Além dos crimes de estupro, Evandro também responde por roubo majorado, após suposta participação no roubo de uma motocicleta na capital. O Cabo da PM também responde por porte ilegal de arma de fogo e por violência contra mulher. Evandro ainda está proibido de se aproximar de ex-companheira do PM, que acusa o militar de ameaçá-la diversas vezes.

Após a prisão, Evandro foi conduzido ao Instituto Médico Legal (IML) para a realização do exame de corpo de delito e, em seguida, encaminhado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde permanecerá à disposição da Justiça

A Corregedoria Geral do Sistema de Segurança informou ao Radar que será aberto um Processo Administrativo Disciplinar (PAD) para avaliar a permanência do policial nos quadros da corporação. Até o momento, Evandro continua recebendo o salário bruto de R$ 6.234,06, conforme consta no Portal da Transparência do Amazonas.