Cabos são instalados na ponte Rio Negro para evitar “apagões” em Iranduba e Manacapuru

Para garantir o abastecimento de energia elétrica nos municípios de Iranduba e Manacapuru, a Secretaria de Estado de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Manaus (SRMM) e a Amazonas Energia S. A. fizeram uma trativa para a instalação de cabos na ponte Jornalista Phelipe Daou, em substituição aos cabos subaquáticos, que muitas vezes eram roubados ou danificados, resultado em constantemente apagões.

Em julho deste ano, mais de 200 mil pessoas dos dois municípios sofreram com a falta de energia elétrica e, desde então, os moradores vem sentido também com a falta de água, serviços considerados essenciais e que não podem sofrer interrupções.

De acordo com o cronograma da concessionária, os trabalhos de implantação do cabeamento na ponte Rio Negro deverão durar 30 dias corridos, a contar da última sexta-feira (9). A ponte é de responsabilidade da SRMM.

Para que os cabos sejam afixados, estão em andamento os serviços de fixação nas vigas transversais da ponte, suportes metálicos para sustentar as ferragens, isoladores poliméricos e cabos condutores que têm um peso aproximado de 1kg por metro, totalizando um peso adicional de 135 kg por suporte.

Para a realização deste serviço com absoluta segurança dos operários e dos motoristas, a Amazonas Energia solicitou a interrupção de uma via da ponte para que seja feita preparação e o içamento das equipes de montagem dos suportes e instalação dos condutores.

Tratativas

As tratativas para a colocação dos cabos tiveram início através de uma solicitação da Amazonas Energia, enviada, no último dia 8, ao titular da SRMM, Carlos Henrique Lima. A solicitação foi para fazer a liberação do acesso à ponte para a instalação de um circuito trifásico emergencial de linha de distribuição de 69 KV, nas laterais da ponte, para substituir uma das fases do cabo subaquático que foi danificado.

Antes de iniciar a instalação dos cabos na ponte, técnicos da SRMM e da Amazonas Energia S. A., se reuniram para estudar o projeto de implantação dos cabos e suas implicações para a estrutura da ponte, principalmente em termos de peso. Os projetos, tanto o provisório quanto o definitivo, foram submetidos à apreciação dos técnicos da SRMM e só então foram colocados em prática.

“Nosso papel é garantir a resolução do problema no mais curto espaço de tempo possível, de modo a reduzir os prejuízos que os moradores de Iranduba e Manacapuru vinham sofrendo”, destacou o titular da SRMM, Carlos Henrique Lima.

A implantação desse cabeamento trifásico em 69 kv foi uma solução emergencial. De acordo com os técnicos da concessionária de energia, a solução permanente será a colocação de uma linha em 138 kV em circuito com cabos isolados, pela ponte, oferecendo confiabilidade ao fornecimento de energia para estes municípios.

Com informações da assessoria da SRMM.