Câmara dos Deputados debate sobre a situação da Ancine nesta segunda (21)

Produtoras questionam a demora da Ancine em analisar projetos | Foto: James Willamor

A Câmara dos Deputados promove na manhã desta segunda-feira (21), às 10h, um debate virtual sobre a situação da Agência Nacional do Cinema (Ancine). O evento é uma iniciativa do deputado Marcelo Calero (Cidadania-RJ).

No último dia 16, a Justiça derrubou decisão que obrigava a Ancine a analisar em até dez dias projetos artísticos aprovados em editais. A sentença argumentou que a agência não tem capacidade operacional nem disponibilidade financeira para cumprir as demandas no prazo.

Em 2019, o Tribunal de Contas da União (TCU) determinou que a Ancine suspendesse o repasse de recursos públicos para o setor audiovisual, tendo sido apontadas irregularidades nas prestações de contas dos filmes beneficiados com verbas.

Acusado de falsidade ideológica e estelionato, o então diretor-presidente da agência, Christian de Castro, renunciou ao cargo em novembro.

Foram convidados para o debate, entre outros:

  • o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antonio;
  • o procurador da República, do Ministério Público Federal do Rio de Janeiro, Sergio Gardenghi Suiama;
  • o atual diretor-presidente da Ancine, Alex Braga Muniz;
  • o diretor-presidente do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), Luiz Corrêa Noronha;rke Júnior;
  • a gerente do BRDE Juliana Dallastra;
  • o fundador e presidente da TV Curta!, Julio Worcman;
  • a diretora da Conexão Audiovisual Centro-Oeste, Norte e Nordeste (Conne), Vânia Lima;
  • o produtor e conselheiro do Brasil Audiovisual Independente (Bravi) Marcio Yatsuda;
  • o presidente do Sindicato Interestadual da Indústria Audiovisual (Sicav), Leonardo Edde; e
  • a presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria Cinematográfica e do Audiovisual dos Estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Tocantins e Distrito Federal (Sindcine), Sonia Teresa Santana.

O público poderá acompanhar a reunião e enviar perguntas aos participantes por meio do portal e-Democracia.

Fonte: Agência Câmara de Notícias