Campanhas publicitárias milionárias engordando contas bancárias dos “amiguinhos do rei”

foto: Divulgação rede social do Governo do Amazonas/ Montagem Radar Amazônico

Não tem quem diga que não está curioso pra saber nas contas de quais veículos de comunicação foram parar os milhões dos cofres públicos destinados a propaganda sobre a pandemia. Essa é a resposta que a CPI da Saúde aguarda da Secretaria de Comunicação do Governo do Estado, após ser aprovado requerimento pedindo informações sobre quanto o governo do Estado gastava com peças publicitárias e prevenção ao coronavírus enquanto tinha gente morrendo nos hospitais pela falta de estrutura dos hospitais, falta de medicamentos e de assistência médica.

O que se sabe, sem precisar nem mesmo de investigação da CPI da Saúde é que teve gente morrendo por falta de respiradores e até mesmo de um simples cilindro de oxigênio nos hospitais. Mas, contrariando todos os vídeos e fotos sobe o caos na saúde pública do Amazonas durante a pandemia, o governador Wilson Lima não treme um músculo da cara pra dizer que nada disso aconteceu.

Na contramão desses tristes e revoltantes acontecimentos, o que não faltaram foram milhões para as agencias de publicidade do governo. Três agencias receberam, cada uma, aditivos de mais de R$ 13 milhões diz que para “verbas extraordinárias (…) serão destinadas exclusivamente às campanhas de utilidade pública, destinadas direta e indiretamente ao combate ao covid-19”.

Essas peças publicitárias são tão caras que, quem sabe, isso não explique o fato de uma dessas agencias estar na lista das empresas que mais receberam dinheiro do governo. A View 360 Publicidade e Comunicação Integrada Ltda. já recebeu somente esse ano quase R$ 27 milhões e dizem umas fontes do Radar que, foi através da View 360 que os “amiguinhos do rei” Wilson Lima receberam suas “gordas faturas”.

A CPI da Saúde mira nos números da publicidade em tempos de pandemia que não é de hoje que está na mira do Radar.