Carteira de Trabalho agora é emitida apenas na forma digital no Amazonas

Foto: Reprodução

A partir desta segunda-feira (10), a Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) digital substitui o documento de papel no Amazonas. Agora, a CTPS vai ser emitida por meio de um aplicativo que pode ser instalado no celular. A orientação é do Ministério da Economia, através da portaria 1065 publicada em setembro de 2019.

Pela internet, o documento poderá ser habilitado pelos trabalhadores. O cadastro é único e feito por meio do CPF, que passa a ser o número de identificação do trabalhador. Para quem vai tirar a carteira pela primeira vez, vai contar também com a facilidade.

O acompanhamento dos registros por parte dos trabalhadores, será possível pelo aplicativo para celulares (App Store da Apple ou Play Store do Android), ou pelo site empregabrasil.mte.gov.br digitando “CTPS DIGITAL”. O processo é simples e para se cadastrar é necessário informar nome completo, CPF, data de nascimento, nome completo da mãe, telefone celular, e-mail e o estado de nascimento.

O CPF será sua identificação única, tanto para as empresas quanto para o trabalhador. Porém, a carteira de papel continua valendo, e quem já possui a CTPS física pode emitir a versão digital. O documento não tem custo para o trabalhador.

Mudanças 

Ao ser contratado, o trabalhador que possuir a CTPS digital, só precisa fornecer o número do CPF para que o empregador possa de forma eletrônica fazer o registro.

Para as empresas será um grande diferencial, onde não será mais preciso fazer anotações em papel, utilizando apenas a comunicação automática das informações do sistema e-Social para a carteira digital.

Em Manaus, quem teve dificuldades em realizar a solicitação online, pode procurar a sede do Sistema Nacional de Emprego no Amazonas (Sine-AM), localizada na Galeria+, na avenida Djalma Batista, 1.018 (entre o Amazonas Shopping e o Manaus Plaza Shopping).

Sem burocracia e fraude 

Segundo o Ministério da Economia, a modificação tem o objetivo de diminuir a burocracia e dificultar a fraude, além de facilitar também para as empresas, no que diz respeito ao prazo legal para regularizar o registro do trabalhador contratado, principalmente de micro e pequeno porte, estando os dados disponíveis para acesso em até 48 horas, contadas a partir da inscrição das informações.

Com informações da assessoria de imprensa