Caso Flávio: “Prefeitura não está prevaricando”, diz procurador-geral do município

O procurador-geral do município, Rafael Albuquerque, afirmou, nesta quarta-feira (9) que a Prefeitura de Manaus não está prevaricando e que estão sendo tomadas todas as providências necessárias para tratar do possível uso da máquina pública e envolvimento de um servidor da prefeitura no assassinato do engenheiro Flávio Rodrigues, ocorrido no dia 29 do último mês. A declaração ocorreu durante a reunião realizada na Câmara Municipal de Manaus (CMM) com a presença também do secretário municipal Extraordinário de Articulação Política, Luiz Alberto Carijó.

“Não houve prevaricação por parte da Prefeitura de Manaus. Não recebemos nenhum ofício, nenhuma indicação de procedimento, nada da Polícia Civil. Além disso, não falharemos em dar provimento tão logo saibamos da ocorrência de qualquer ato que envolva a prefeitura”, afirmou Rafael.

De acordo com o presidente da Casa Legislativa, vereador Joelson Silva (PSDB), a Câmara Municipal está cumprindo o seu papel de ouvir os esclarecimentos. “Neste momento, considero importante a vinda dos representantes da Prefeitura de Manaus para explicar as dúvidas dos vereadores. Para nós houve esclarecimento naquilo que eles puderam nos oferecer de informações. Contudo, nós vamos exercer nosso dever com parcialidade, que é nosso papel aqui na Casa” disse.

Comissões

Luiz Alberto Carijó informou que duas comissões de sindicância estão em andamento para apurar possíveis atos infracionais cometidos pelo servidor Elizeu da Paz, lotado na Casa Militar da Prefeitura, e também o uso de carro oficial da prefeitura no dia do assassinato do engenheiro Flávio Rodrigues. Elizeu da Paz, conforme investigações, seria segurança do filho da primeira-dama, Alejandro Valeiko.

“Esses processos irão levantar os detalhes nas duas situações específicas. Portanto terá prazo de 30 a 45 dias para debater todos os aspectos. Após isso, será deliberado o destino do servidor envolvido”, disse Carijó. O secretário reafirmou que o prefeito Arthur Neto não tem qualquer relação com o crime.

Caso Flávio

No fim da tarde desta terça-feira (8), um dos presos, o lutador de MMA Mayc Vinicius Parede, assumiu a autoria do crime. A informação foi dada pelo delegado titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Paulo Martins. De acordo com delegado, embora Mayc tenha confessado o assassinato de Flávio Rodrigues, as investigações devem continuar para esclarecer várias divergências no caso.