Caso Flordelis: Testemunha levanta nova versão sobre assassinato de pastor

Clever Felix/LDG News/Estadão Conteúdo

Em acareação realizada hoje, antes de mais uma audiência que julga o caso da deputada federal Flordelis, uma ex-frequentadora da igreja da parlamentar, Vivian Maria, confirmou em juízo ter ouvido que Simone dos Santos, filha biológica de Flordelis, também atirou no pastor Anderson do Carmo na garagem da casa da família, em Pendotiba, em Niterói. O crime ocorreu em junho do ano passado.

Segundo o relato, Simone efetuou os disparos nas partes íntimas da vítima. Trata-se de uma nova versão para o crime. No entanto, o MPRJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) não acrescentou o depoimento ao processo.

A mulher disse ainda que soube que o outro filho de Flordelis, André de Oliveira, teria segurado o pastor para que Simone e Flávio atirassem nele.

Segundo Vivian, os detalhes foram contados a ela por Cristiana Rangel, esposa do pastor Carlos Ubiraci, que também está preso acusado de envolvimento no assassinato. Carlos e Cristiana são filhos afetivos de Flordelis e moravam todos na mesma casa.

Diante da juíza Nearis dos Santos, Cristiana negou que tivesse feito os relatos sobre o crime para a frequentadora da igreja.

A nova versão sobre o assassinato do pastor Anderson surgiu na audiência passada durante o depoimento da empresária Regiane Rabelo, que revelou ter ouvido a história de Vivian.

O advogado da família de Flordelis, Luis Felipe Alves, considerou que o relato é “coisa de gente fofoqueira da igreja”.

“O promotor já desconsiderou esse depoimento e não vai incluir na denúncia. Se ele [promotor] entendesse que isso de fato ocorreu, ele iria aditar a denúncia, ou seja, incluir os fatos. Essa história já caiu por terra”, concluiu o advogado ao UOL.

Hoje ocorreu a quarta audiência do processo sobre o homicídio do pastor Anderson. Até o momento, Flávio dos Santos é o único acusado pelo MP de ter atirado nele.

Os outros réus são acusados de participarem no crime, mas não foram apontados como executores. Durante as investigações, não houve qualquer relato da presença de outras pessoas na cena do crime além dele.

O pai do pastor também foi ouvido na audiência de hoje. Ele foi arrolado pela defesa, mas chegou ao fórum acompanhado do advogado de acusação do caso. Ele relatou à Justiça que era pai adotivo de Anderson, que o filho nunca o ajudou financeiramente e que desconhecia qualquer problema de relacionamento entre ele e Flordelis.