Casos de clonagem de Whatsapp crescem no Amazonas comparado a 2020

Foto: reprodução internet

Com um aumento de 421% de ocorrências de invasão a dispositivos informáticos em 2021, o triplo em comparação com o mesmo período do ano passado. A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM) alerta a população sobre esses golpes, que cresceram desde o início da pandemia porque as pessoas tendem a ficar mais tempo conectadas na internet.

O delegado Heron Ferreira, titular da Delegacia Especializada em Repressão a Crimes Cibernéticos (DERCC), enfatiza que os criminosos passaram a se dedicar-se ainda mais a essa prática com o isolamento das pessoas, e aconselha a população ficar atenta para essas fraudes.

“Uma das garantias que a vítima pode usar é redobrar o cuidado com o dispositivo. Não baixar qualquer tipo de arquivo no computador. Caso cheguem mensagens de promoções de clínicas, restaurantes, entre outras, o ideal é ligar diretamente para o estabelecimento e confirmar”, explicou.

Aumento de casos

A DERCC registrou de janeiro a fevereiro de 2021 cerca de 174 Boletins de Ocorrência (BOs) com relatos sobre invasões de dispositivos. Essas informações englobam os casos de clonagem de aplicativos, entre outros tipos de crimes dessa modalidade envolvendo aparelhos telefônicos e computadores. No mesmo período do ano passado, a unidade contabilizou 51 casos.

O crime de invasão de dispositivo informático foi apelidado de “Lei Carolina Dieckmann”, em alusão à atriz brasileira que, em maio de 2012, teve fotos íntimas publicadas indevidamente na internet, captadas por “hackers” que invadiram seu computador e passaram a exigir dinheiro para não tornar públicas as imagens. A pena prevista para o crime é de detenção de três meses a um ano, além de multa.

Cautela

O delegado Heron orienta as pessoas pessoa que caem nesse tipo de golpe, que reúna provas para formalizar o registro do BO. “Geralmente os criminosos invadem dispositivos quando as pessoas fornecem o número de verificação do aplicativo de mensagens, e ele acaba habilitando no telefone dele e tendo acesso a toda sua lista de contatos. Então, faça o anexo de prints, fotografias das mensagens, e onde consta também o número do telefone dos estelionatários”.

As situações mais frequentes entre os aplicativos clonados são os pedidos de transferência financeira para contas bancárias. No caso de qualquer pedido nesse sentido, a orientação é checar se é a pessoa mesmo quem está pedindo antes de fazer qualquer transferência.

Registre o crime

Vítimas de crimes cibernéticos devem registrar o BO no site da Delegacia Interativa da Polícia Civil no endereço delegaciainterativa.am.gov.br.