Casos de gripe disparam no Amazonas, mas Governo do AM e Prefeitura de Manaus só vão liberar vacinas em abril

O "inverno amazônico" foi primordial para o aumento dos casos de gripe na capital amazonense nos últimos dois meses de 2021

vacina gripe

Foto: Alex Pazuello/Semcom

Há dois meses o Amazonas vive o  “inverno amazônico”, período intenso com muitas chuvas, principalmente em Manaus. O clima frio e chuvoso proporciona o aumenta dos índices de pessoas com gripe. Com isso, inicia o crescimento intenso do número de pessoas interessadas em tomar a vacina contra a doença.

Entretanto, o Radar Amazônico teve conhecimento que nesse período chuvoso de Manaus não há nenhuma vacina contra gripe disponível nos postos municipais de saúde. Ou seja, quem procura o imunizante contra a gripe (vacina tetravalente), não vai conseguir se vacinar de forma gratuita e, o pior, a previsão de chegada de novas doses para aplicação, segundo a Prefeitura de Manaus, é somente abril de 2022.

Esse é o caso de Tatiane Campos, que se dirigiu até a Unidade Básica de Saúde (UBS) Arthur Virgílio, localizada no conjunto Mutirão, bairro Amazonino Mendes, zona Norte de Manaus em novembro. Sua filha saiu do período gripal e Tatiane correu para uma unidade de saúde para atualizar a dose anual da criança. Chegando lá, foi informada que todas as doses restantes “haviam sido recolhidas pela Semsa”. Desde lá não conseguiu vacinar sua filha.

“Fui levar minha filha para tomar a vacina contra a gripe na UBS do Mutirão, mas está indisponível, afirmaram que todas as doses foram recolhidas pela Semsa Manaus”, desabafou.

Por conta de casos como esse, a reportagem entrou em contato com a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) para falar sobre o caso. Em nota, a secretaria informou que a vacinação contra a Influenza (gripe) ocorre exclusivamente em período de campanha nacional estabelecida pelo Ministério da Saúde (MS), voltada para grupos específicos da população, considerados mais vulneráveis ao vírus H1N1 e suas cepas, no período de abril a agosto.

Cabe ressaltar que durante esse período de tempo apenas dois grupos – puérperas (109,60%) e indígenas (93,17%) as metas de vacinação foram alcançadas.

“Este ano (2021), a campanha de vacinação contra a Influenza teve início no dia 12 de abril, e acabou sendo estendida até o mês de agosto. A meta era imunizar cerca de 642.003 pessoas de 17 grupos prioritários. O Sistema Municipal de Vacinação (SMV) da Semsa, aponta que apenas em dois grupos – puérperas (109,60%) e indígenas (93,17%) as metas foram alcançadas. Nos grupos restantes, elencados para essa imunização, não foram alcançados os 90% preconizados pelo Ministério da Saúde. As doses remanescentes foram abertas para o público geral, mas já acabaram.”, explicou a Semsa.

Após isso, a Semsa afirma que “por não se tratar de imunizante da rotina do calendário nacional de vacinação, o envio de doses ocorre apenas no período de campanha, cuja previsão, até o momento, é que inicie no mês de abril de 2022.”

Assim, dona Tatiane e outros manauaras terão que esperar pelo Ministério da Saúde enviar mais doses até abril deste ano.

Compra de vacinas pelo estado e município

gripe vacina manaus

Foto: Divulgação/Radar Amazônico

Em 2021, durante a segunda onda no Amazonas, o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), e o prefeito de Manaus, David Almeida (Avante), entraram em uma verdadeira corrida para comprar as vacinas contra a Covid-19. No entanto, o mesmo empenho não é visto para adquirir imunizantes contra a gripe.

Enquanto não é o assunto prioritário dos gestores, no Amazonas já atingimos o pico do número de casos da doença, com 1.203 casos de Influenza e sete mortes, seis em Manaus e uma em São Gabriel da Cachoeira, entre dezembro e janeiro deste ano.

O Radar entrou em contato com algumas clínicas de saúde da rede particular e constatou que a vacina da gripe está sendo oferecida em uma faixa de R$ 80 para a população manauara, mas que a vacinação está começando a ficar em falta por conta da alta procura.

Assim, a reportagem questionou a Secretaria de Saúde do Amazonas (SES-AM) e a Semsa do fato de que, sabendo que estamos no período de chuva, em período de explosão dos casos de gripe em Manaus, e já que o Ministério de Saúde vem tomando uma posição negacionista em relação às vacinas e que somente enviará doses no período regular da campanha de vacinação, porque a Prefeitura e o Governo do Estado não compraram as doses antes desse período.

Por meio de nota, a SES-AM afirmou, assim como a Prefeitura, que as vacinas contra a gripe “obedecem a um calendário estabelecido pelo Ministério da Saúde”. Porém, a secretaria disse que pediu antecipação da vacinação contra a Influenza.

“A Secretaria de Saúde do Amazonas (SES-AM) solicitou a antecipação da Campanha Nacional de Influenza, prevista para abril deste ano, mas ainda não há posicionamento do Ministério da Saúde, pois a vacina atualizada para esta campanha ainda está sendo produzida com os vírus predominantes no país no ano passado”, ressalta.

Até a publicação desta reportagem, a Semsa decidiu não responder sobre estes novos questionamentos feitos pelo Radar Amazônico.

O Ministério da Saúde também foi questionado pela reportagem sobre a antecipação das doses de vacina. Até a publicação desta reportagem, não respondeu.