Celular de servidora do TRT encontrada morta enviou alerta para filha, dizem advogados

Após o celular da vítima enviar um alarme de emergência para Sthephanie, a filha resolveu ligar para o celular da mãe mas, não conseguiu contato.

Foto: Divulgação

Advogados da família de Silvanilde Ferreira Veiga, de 58 anos, que era servidora federal informaram que o celular da vítima enviou um alarme de emergência antes de o corpo dela ser encontrado pela filha, em um apartamento de luxo, localizado no bairro Ponta Negra, na zona Oeste de Manaus, no domingo (22).

A filha da vítima, Sthephanie Veiga, foi até a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), na segunda-feira (24) para prestar declarações sobre o caso à polícia e entregou notebook e pendrive.

Após o celular da vítima enviar um alarme de emergência para Sthephanie, a filha resolveu ligar para o celular da mãe mas, não conseguiu contato.

“Às 22h06 ela recebeu um aviso de socorro, emitido pelo celular, só que nessa hora ela já estava morta, quem estava com o celular dela emitiu esse aviso para a Stephanie, a partir desse aviso ela conseguiu ligar duas vezes para a mãe e ligou pra portaria, em seguida pediu pra portaria ir lá olhar”, disse a advogada da família Daniela Cardoso.

No momento do crime, Sthephanie não estaria em casa, pois estava em um passeio com o namorado e pediu para o porteiro que fosse até o apartamento da mãe para saber se estava tudo bem.

Uma das linhas de investigação considera que o crime tenha sido praticado por pessoa conhecida da vítima. Isso porque a segurança do prédio permitiu o acesso ao apartamento, possivelmente sob autorização de Silvanilde.