Cenas da manifestação pró-Melo que o Radar não conseguiu deixar de captar

Mani e Kombi escolar

Durante a leitura da Mensagem Governamental, nessa segunda-feira (01), na abertura dos trabalhos de 2016, da Assembleia Legislativa do Estado, os apoiadores do governador José Melo – ler servidores públicos de primeiro e segundo escalão do Governo do Estado e da Prefeitura de Manaus – não deixaram de preparar uma manifestação de apoio ao governador, cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) por conduta vedada a agente público e compra de votos.

Manifestação pro melo 5E por falar em conduta vedada a agente público, lá estavam diretores de escolas e de unidades de saúde, que tiraram uma folga do serviço público para arregimentar gente – inclusive seus subordinados nas respectivas instituições públicas – e ir engrossar o coro do “Fica Melo” – isso não deveria ser perguntado pra Justiça Eleitoral?.

E qualquer ser pensante não poderia deixar de se questionar diante de uma coincidência tragicômica que acontecia bem na entrada da Assembleia legislativa. Para despistar os olhares mais agudos principalmente dos jornalistas – ôh raça que adora enxergar coisa errada, né minha gente? – os manifestantes não foram trazidos de ônibus, mas de Kombi escolar. E logo depois, o governador em seu discurso destacava o denominado “Pacto pela Educação!” – será que uma coisa tinha a ver com a outra?

Segurança

Manifestação pro melo 6E enquanto falta polícia em alguns locais da cidade, levando-se em consideração as reclamações da população, isso foi o que não faltou dentro e fora da Assembleia Legislativa (Aleam). Do lado de fora, serenos e pacificadores, policiais militares garantiam a segurança dos manifestantes do “Fica Melo”.

E, do lado de dentro, os mais de 50 policiais retirados da segurança nas ruas para ficar à disposição dos deputados, prendiam rapaz que jogou notas falsas de dinheiro no governador aos berros de: “Toma teu dinheiro comprador de votos”. Um desses PMs, um major (Falabella) sub-chefe da Casa Militar de Josué Neto, é acusado pela deputada Alessandra Campêlo de tratá-la com truculência.

Manifestação pro melo 1Ele, de novo!?!?

E em meio ao empurra-empurra de gente no saguão da Assembleia, que nunca esteve tão lotado sem que aparecesse a polícia do Poder Legislativo para esvaziar a área, lá estava ele de novo, Vicente Filizzola, o subsecretário de trabalho da Prefeitura de Artur Neto, que ontem deixou de trabalhar para ir engrossar as fileiras dos apoiadores do governador, muitos deles levados pra lá por ele próprio – desculpem não ter conseguido um ângulo melhor na foto do subsecretário porque na hora do click levamos um empurrão e uma cotovelada.

Estranhamente, até mesmo as galerias ficaram lotadas dos apoiadores do governador José Melo, sem sequer um ser humano do contra. Mas, o Radar captou a explicação. Diz que na entrada das galerias tinha uma lista de quem podia ou não podia entrar e, é lógico, só podia entrar quem era a favor do governador, principalmente entidades como o Sindicato dos Servidores da Polícia Civil do Estado (Sinpol) que passou todo o ano de 2015 reclamando dos baixos salários e das péssimas condições de trabalho. E como aqui no Radar ninguém resiste a um trocadilho, diz que a pergunta na porta da galeria era: “PROS ou contra?”.

O plenário também estava lotado pelos funcionários públicos de primeiro e segundo escalão do governo que, a qualquer mera parada do governador em seu discurso – nem que fosse pra dar apenas uma respirada – aplaudiam fervorosamente o Chefe do Executivo, aos gritos de “Fica Melo. E até o pivô da cassação do governador, seu irmão e eminencia parda do Governo, Evandro Melo, estava por lá, mas uma forte segurança em sua volta dava um chega pra lá em algum fotógrafo que cismava de virar a lente em sua direção, ou o retirava às pressas da direção dos fotógrafos – ainda mais se fosse do Radar, ai só faltavam dizer cruz credo! (Any Margareth) 

 

Manifestação pro melo 4