Cenas revoltantes: pacientes do Fcecon sofrem com a falta de medicamento e em enfermarias sem ar-condicionado (ver vídeos)

São revoltantes as imagens que, infelizmente, teremos que mostrar para nossos leitores. Digo, infelizmente, porque no Radar não há qualquer satisfação em aumentar os acessos usando o sofrimento de outras pessoas. Aqui não se pratica o jornalismo “mundo cão”! Porém, vídeos enviados por pacientes da Fundação Centro de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), mostram a real situação de um sistema de saúde pública que o governador professor José Melo insiste em classificar como “campeão em investimentos no País”.

Na contramão do discurso do governador, o parente de uma pessoa em tratamento no FCecon não consegue encontrar o medicamento necessário. E a resposta do atendente da farmácia é de que não há sequer previsão para a chegada do medicamento. Em outro vídeo, os pacientes internados nas enfermarias, além do sofrimento de uma doença tão cruel como o câncer, ainda suportam um calor terrível porque os ares-condicionados estão quebrados. Os pacientes são abanados por seus acompanhantes na tentativa de diminuir o padecimento dessas pessoas.

E não há como o Radar não questionar, mais uma vez, como se prioriza obras ao invés da saúde pública? Desde quando o tijolo e o cimento, passou a ser mais importante que o medicamento para salvar a vida de uma pessoa? E o que provoca o silêncio obsequioso das autoridades do Estado que não dão um jeito nessa situação que se arrasta há tempos? E, são esses mesmos homens que calam e consentem, que ainda insistem em falar em Deus. (Any Margareth)