Cerca de 400 famílias quilombolas ficam isoladas após temporal em Goiás

Ponte sobre Rio Claro desabou, deixando cerca de 30 famílias isoladas na comunidade Vão das Caldas – Foto: Prefeitura de Cavalcante

A enxurrada abriu uma cratera no GO-118 —um dos principais acessos a essas comunidades— e destruiu a ponte que leva à maior de todas, a Vão de Almas.

“São cerca de 230 famílias só nesta comunidade quilombola”, afirmou ao Uol o chefe de gabinete do prefeito Vilmar Kalunga (PSB), Sérgio Marcos Moreira dos Santos.

São seis comunidades certas, cerca de 400 famílias hoje sem chegar à cidade e nem a gente chegar até elas, sem condições de levar assistência “.
Marcos Moreira dos Santos, chefe de gabinete da Prefeitura de Cavalcante.

Ponte que leva à comunidade Vão de Almas desabou, e cerca 230 famílias quilombolas estão isoladas – Foto: Prefeitura de Cavalcante

  1. Vão do Moleque
  2. Congonhas
  3. Assentamento Rio Bonito
  4. Cabeceira do Vão
  5. Capela

De acordo com Santos, a cratera na GO-118 foi aberta na sexta-feira (24) durante as chuvas, que continua segunda-feira (27). A prefeitura busca agora ajuda da Defesa Civil e pretende recorrer ao Exército para levar assistência aos quilombolas.

Santos afirma que a maior preocupação agora é levar alimento a essas famílias.

“Eles estão sem alimentação. Mas se alguém tiver alguma urgência de saúde, como mordida de cobra, essa pessoa não chega aqui”, diz Santos. “Cavalcante é um quarto maior cidade em território de Goiás”, diz ele, mas tem apenas 11 km de estradas pavimentadas.

Além da via interditada e das estradas de chão batido, outra alternativa é chegar aos quilombos por meio de canoa, mas “os rios estão muito cheios”, afirma.

O prefeito divulgou hoje comunicado declarando estado de calamidade.

“A situação não está fácil”, afirmou Kalunga. “Precisamos fazer apoio do governo federal e do governo estadual. Meu apelo a todos vocês governantes: Cavalcante precisa de ajuda.”

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), e o presidente da Goinfra (Agência Goiana de Infraestrutura e Transporte), Pedro Sales, prometeram visitar a região na tarde de hoje para vistoriar a interdição da GO-118.