Chega a mais de R$ 2,1 milhões gastos da presidência da CMM com móveis e eletrodomésticos

Foto: Reprodução

O presidente da Câmara Municipal de Manaus (CMM), vereador David Reis (Avante), continua fazendo com que o Parlamento Municipal esteja envolvido em denúncias de gastos excessivos e compras supérfluas com dinheiro dos cofres públicos. O Radar seguiu o rastro da compra de mais de R$ 800 mil em móveis para a Casa Legislativa e encontrou uma cifra ainda maior, que chega a R$ 2.197.620,00 (dois milhões e cento e noventa e sete mil e seiscentos e vinte reais) para a compra de eletrodomésticos e móveis, oriundos do Pregão Presencial n.º 029/2021 SRP/CMM (ver documentos no final da matéria).

Nesta terça-feira (8) chegaram na Câmara Municipal 120 poltronas tipo “presidente” compradas pelo vereador David Reis. Além disso, a presidência da Casa comprou ainda 590 poltronas tipo “interlocutor” (próprias para mesas de reunião), com quatro pés e mais 164 poltronas giratórias, além de objetos como quadro escolar, escada dobrável, mesa de refeitório com seis lugares e quadro de avisos.

Vale ressaltar que o vereador David Reis também comprou 15 bebedouros e três fornos de micro-ondas. A empresa contratada para fornecer os móveis foi a Movenorte Comercio e Representações Ltda., situada na avenida Tefé, n° 1721, bairro Cachoeirinha, zona Centro-Sul de Manaus.

A Movenorte pertence aos empresários Raquel Cohen da Silva, Jorge Chalub Pereira, Jorge Chalub Pereira Filho, Delfim de Albuquerque Chalub Pereira, e vai receber R$ 822.060,00 (oitocentos e vinte e dois mil e sessenta reais) pelo trabalho.

David Reis também comprou 164 aparelhos de ar-condicionado, sendo eles no modelo Split, de 12 mil a 60 mil BTU’s. A empresa contratada para fornecer os aparelhos foi a VH Comércio de Produtos Alimentícios e Serviços de Manutenção Eireli, localizada na rua Otávio Pires nº 406, bairro Alvorada, zona Centro-Oeste da capital.

Ela pertence a Victor Hugo Menezes Lopes, e vai receber exatos R$ 1.375.560,00 (um milhão e trezentos e setenta e cinco mil e quinhentos e sessenta reais) pelo fornecimento.

Críticas

A chegada das poltronas não foi bem vista por servidores da Câmara e vereadores da oposição. O vereador Amom Mandel (sem partido) considerou uma troca desnecessária e criticou o uso de dinheiro público para este tipo de compra. O parlamentar cobrou também transparência por parte do presidente da Casa Legislativa, já que os vereadores têm pouca ou nenhuma informação do que está sendo feito pela presidência com os recursos do Legislativo municipal.

“Eu recebi com muito pesar, por populares e pela imprensa, nos últimos dias, uma série de reclamações e denúncias, quanto a troca desnecessária de mobília e cadeiras do parlamento municipal. E após apurar as denúncias recebidas, verifiquei que uma das empresas contratadas é de um parente meu. Para mim não faz diferença nenhuma! Continua errado. Deixo aqui meu repúdio absoluto quando a total falta de cuidado com o dinheiro público, na medida em que o presidente dessa Casa troca, sem necessidade, a mobília e cadeiras do plenário”, disse.

O vereador Rodrigo Guedes (PSC) também falou a respeito das compras feitas por David Reis. Ele reforçou que o gasto é desnecessário e disse que o dinheiro poderia ser gasto com outras coisas.

“De gasto em gasto desnecessário e mau uso do dinheiro público, este vai escoando pelo ralo e os brasileiros tendo que pagar a segunda maior carga tributária do mundo! Conseguem entender, entre outras coisas, por que tudo é tão caro? Porque os impostos embutidos nos produtos ou serviços alimentam essas coisas! Não tem como não repudiar”, reitera.

Veja o diário de homologação na íntegra

Veja o projeto básico de materiais