Chico Preto apresenta plano de governo e propõe criação da Universidade do Software

chico3544

Criar a Universidade do Software para produzir a inteligência colocada hoje nos eletroeletrônicos produzidos no Polo Industrial de Manaus e dar a sustentação necessária ao fortalecimento do modelo ZFM nos próximos 50 anos. Essa é uma das propostas que integram o plano de governo apresentado na segunda-feira, 14, pelo candidatado do PMN ao Executivo do Amazonas nas eleições de outubro, Marco Antônio Chico Preto.

Durante a entrevista no jornal Band Cidade, Chico Preto começou defendendo o fortalecimento do turismo – por considerar a atividade uma ótima alternativa para a geração de emprego e renda no Estado – e investimentos maciços no setor primário, destinados a possibilitar, por exemplo, a agregação de valor à produção de açaí e abacaxi, entre outras, bem como a construção de uma solução integrada com prefeituras e governo federal para manuseio dos resíduos sólidos e construção de aterros controlados nos municípios.

“O Amazonas merece muito mais e também está precisando de mais gestão e  de mais ousadia para destravar o Centro de Biotecnologia da Amazônia, que foi criado em 2002, mas está praticamente abandonado e precisa ser usado para alavancar, por exemplo, a indústria de fármacos”, disse ele.

Mais saúde

Chico Preto defendeu, também, uma melhor aplicação dos cerca de R$ 2,4 bilhões destinados ao setor da saúde, uma efetiva valorização dos profissionais da área e o resgate da dignidade da carreira médica.

Ao falar sobre as ações necessárias para dotar o Amazonas da infraestrutura necessária à promoção e sustentação do seu desenvolvimento, Chico Preto disse que pretende investir pesado para colocar internet com banda larga, inicialmente, nos 20 maiores municípios do estado, bem como promover a melhoria das vicinais, consideradas hoje o grande gargalo ao escoamento da produção.

“A internet no interior hoje é considerada infraestrutura fundamental à promoção da interiorização do desenvolvimento”, argumentou.

Segundo ele, o próximo governo também precisa poder ser capaz de buscar as saídas necessárias para resolver o problema do sistema viário de Manaus e da mobilidade urbana.

“Não dá mais para continuar como está. O próximo governante vai precisar ter a coragem necessária para adotar as medidas destinadas a melhorar a vida do cidadão”, completou.

O candidato do PMN disse, ainda, que pretende defender a construção de um pacto pela segurança pública com o Ministério Público e a Justiça, bem como aprimorar o programa Ronda no Bairro, considerado uma boa iniciativa.

“Precisamos ter comprometimento para enfrentar os problemas registrados na área da segurança pública”, completou.