Chico Preto cobra fiscalização para gastos de milhões do Governo na terceirização de serviços da saúde

hospital no interior

Hospital no município de Japurá

Através de ofício enviado ao secretario de Estado da Saúde, Wilson Alecrim, nesta segunda-feira (07), o deputado estadual Marco Antônio Chico Preto (PMN/AM) cobrou uma fiscalização detalhada sobre a atuação da Total Saúde Serviços Médicos e de Enfermagem Ltda, no interior do estado.

Chico Preto destacou, em breve pronunciamento, a representação apresentada ao Ministério Público contra a empresa, acusada de descumprir obrigações trabalhistas, além de cometer “abusos e arbitrariedades“ na prestação dos serviços contratados pelo Estado, e defendeu um choque de gestão na saúde pública do Amazonas.

“Temos hospitais com equipamentos de ponta e profissionais capacitados, mas me causa espanto o elevado nível de terceirização dos serviços existente”, afirmou, destacando que a terceirização não pode ser a razão da saúde pública. “O volume de recurso destinado ao pagamento desses serviços se equipara com o da folha de pagamento dos servidores“, observou.

Desequilíbrio

Como exemplo do descompasso registrado na administração estadual, Chico Preto afirmou que os recursos aplicados em Cultura, por exemplo, superaram a marca dos R$ 150 milhões no último ano. Mas, o volume destinado ao Serviço de Pronto Atendimento (SPA), para a compra do material necessário à prestação de um serviço de qualidade à população, girou em torno de R$ 15 milhões.

“Essas decisões desequilibradas são boas para certos empresários e para fomentar negócios e campanhas que estão aí. Mas, evidenciam a falta de compromisso com os verdadeiros interesses da população. Fomentar a cultura é importante, mas a prioridade perseguida deve ser a qualidade do serviço de saúde prestado às pessoas, que esperam meses por uma consulta e, muitas vezes, não dispõem dos medicamentos necessários aos seus tratamentos”, disse ele.