Chico Preto comemora consolidação do Preme e defende piso de investimento para o setor primário

CHICO-PRETO-EP-5-573x381O deputado estadual Marco Antônio Chico Preto (PMN/AM) está comemorando o sucesso crescente do Programa de Regionalização da Merenda Escolar (Preme) no Amazonas, viabilizado, em 2005, por meio de uma lei de sua autoria. E trabalha, agora, para aprovar a PEC18, que propõe a definição de um piso de investimento anual para o setor primário, por parte do Governo do Estado.

Segundo Chico Preto, hoje o Preme é um importante instrumento de promoção e de apoio ao desenvolvimento sustentável no Amazonas a partir do aproveitamento racional das potencialidades do setor primário, que poderá crescer muito mais a partir do momento em que passar a contar com um piso mínimo de investimento anual, a exemplo do que ocorre com a saúde, educação e ciência e tecnologia.

Ele lembra, ainda, que, atualmente, o Preme é considerado um sucesso e o cardápio escolar conta com 53 produtos regionais, entre frutas, legumes, peixes, carnes e doces, e além de melhorar a alimentação dos alunos da rede pública também tem incentivado a produção de alimentos no Amazonas.

“No período de 2005 a 2014 o Preme possibilitou a injeção de mais de R$ 200 milhões no interior. Além de fortalecer a nossa economia, gerando empregos e renda no interior, o programa da merenda escolar regionalizada possibilita aos alunos o acesso a produtos de qualidade”, afirma o parlamentar, destacando que hoje o Preme atende 776 mil alunos de 582 escolas da Seduc e 510 da Semed.

De acordo com Chico Preto, hoje são beneficiados mais de 14 mil produtores no Amazonas, integrados a cooperativas, associações e agroindústrias do interior, responsáveis pelo fornecimento só para Manaus de mais de 24 itens do cardápio da Merenda Escolar.

“O Preme é também uma importante ferramenta de promoção social, porque valoriza o trabalho das comunidades tradicionais, gerando mais emprego e renda ao interior e zona rural do nosso estado”, completa Chico Preto.