Chuvas em Alagoas deixam ao menos dois mortos e 56 mil desabrigados e desalojados

Foto: Agência Alagoas

Em quatro dias, cidades no estado do Alagoas atingiram a média de chuvas prevista para o mês de julho inteiro, com mais de 300 milímetros de precipitação. O resultado da chuva intensa é visto em inundações, transbordamento de rios, deslizamentos, entre outros danos.

Até a última atualização da Defesa Civil de Alagoas, publicada ao meio-dia desta segunda-feira (4), duas pessoas morreram em cidades em estado de emergência, e cerca de 56 mil pessoas foram afetadas, entre desalojados e desabrigados. No estado, há mais de 50 municípios em situação de emergência, e as enchentes também atingem a capital Maceió.

As chuvas não devem cessar por algum tempo: de acordo com o site Climatempo, pode haver chuvas a qualquer momento do dia em Maceió ao menos até o sábado (9). Segundo a meteorologista do site Maria Clara Sassaki, em entrevista à CNN, as precipitações podem continuar até agosto.

“Pelos próximos 30 dias ela deve oscilar entre forte e fraca na costa do Nordeste, do recôncavo baiano até o Rio Grande do Norte“, disse.

Outro estado que sofre as consequências da grande quantidade de chuvas é Pernambuco, que possui 24 municípios em situação de emergência, e mais de 4 mil pessoas desalojadas ou desabrigadas, segundo informações do repórter da CNN Diego Barros.

Segundo Sassaki, esse período do ano é naturalmente o mais chuvoso na região Nordeste. No entanto, a quantidade de precipitação neste ano é excepcional.

As chuvas com maior intensidade são consequência do fenômeno meteorológico conhecido como “Ondas de Leste”, que são alterações no campo de vento e pressão que atuam na faixa tropical do globo terrestre, gerando nuvens muito carregadas na costa leste nordestina.

O Governo Federal reconheceu nesta segunda-feira, através de publicação no Diário Oficial da União (DOU), em uma portaria Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil, ligada ao Ministério do Desenvolvimento Regional, a situação de emergência em 15 cidades de Alagoas, Amazonas, Bahia, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Santa Catarina.

Ajuda às vítimas

O governo do estado de Alagoas anunciou que oferecerá até R$ 2 mil para as vítimas das catástrofes causadas pela chuva.

A ajuda financeira também virá da Caixa Econômica Federal, que permitirá um “saque calamidade” de até R$ 6.220 do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), a depender do saldo na conta do trabalhador, para pessoas nas regiões atingidas pelas enchentes em Alagoas.

As agências da Caixa abrirão mais cedo a partir desta segunda-feira nestas cidades.