Cinco pessoas são mortas na fronteira de Brasil com Paraguai em menos de 24 horas

Shutterstock

Cinco pessoas, sendo três brasileiros, foram assassinadas num intervalo inferior a 24 horas na região da fronteira entre o Brasil e o Paraguai. Entre as vítimas estão um vereador de Ponta Porã (MS) e a filha de um político paraguaio.

As mortes ocorreram na sexta-feira (8) e no sábado (9) em duas ocorrências: uma em Ponta Porã (MS), no lado brasileiro, e outro em Pedro Juan Caballero, no país vizinho.

As mortes se somam a outras que vêm sendo registradas na região. No final de setembro, por exemplo, o corpo de um brasileiro decapitado foi encontrado em Pedro Juan Caballero, a apenas cinco quilômetros da fronteira com Mato Grosso do Sul.

Neste final de semana, o primeiro assassinato ocorreu no lado brasileiro da fronteira, em Ponta Porã, na tarde de sexta-feira. A vítima foi o vereador local Farid Afif (DEM), 37, assassinado a tiros de pistola enquanto andava de bicicleta. Conforme a Polícia Civil, o autor dos disparos estava em uma moto.

Horas antes do crime, o vereador, que estava em seu segundo mandato e foi o nono mais votado entre os 17 eleitos em 2020, com 964 votos, publicou um vídeo em suas redes sociais em que aparece com a bicicleta.

Na gravação, Afif relatou que estava em deslocamento para acompanhar atendimentos prestados à população da cidade de Mato Grosso do Sul.

Por meio de uma nota, a Câmara de Ponta Porã lamentou a morte do vereador. “É com imenso pesar que esta Casa de Leis comunica a morte do vereador Farid Afif. Neste momento de dor e luto, rogamos a Deus que conforte os corações de seus familiares e amigos”, diz o comunicado.

Neste fim de semana, a Polícia Civil atua nas investigações do homicídio, cuja autoria é desconhecida.

O segundo crime foi cometido em Pedro Juan Caballero, cidade paraguaia que se divide de Ponta Porã por apenas uma rua.

Neste sábado, quatro pessoas, sendo três mulheres e um homem, foram mortos a tiros numa chacina em frente a um espaço de eventos, por volta das 6h30.

Segundo a polícia, os criminosos, que não foram identificados, mataram as quatro vítimas num intervalo de cerca de dez segundos. Os atiradores efetuaram mais de cem disparos, conforme a polícia paraguaia, e chegaram ao local, no bairro San Antonio, numa camionete.

Duas das mulheres são brasileiras, enquanto a terceira era Haylee Carolina Acevedo Yunis, filha de Ronald Acevedo, governador de Amambay, estado paraguaio que fica na fronteira com o Brasil.

O corpo de uma das vítimas, Kaline Oliveira, foi velada em Dourados (MS), onde morava, e enterrado neste domingo (10).

A suspeita inicial da polícia é que o alvo seria Osmar Vicente Álvarez Grance, 32, o único homem morto na ação na cidade paraguaia.

As polícias dos dois países iniciaram investigação para tentar descobrir se há ligação entre as mortes.

A Câmara de Indústria, Comércio, Turismo e Serviços de Pedro Juan Caballero e a regional em Amambay da Associação Rural do Paraguai pediram ações firmes dos órgãos de segurança.”Expressam seu total repúdio à nova ação sangrenta”, diz trecho de comunicado das entidades paraguaias.

Segundo a polícia de Ponta Porã, o policiamento foi aumentado neste domingo no lado brasileiro da fronteira.