Cirurgias de lábios leporinos estão paralisadas no Amazonas, denuncia Alessandra Campêlo

Policlinica e Alessandra capa

A deputada Alessandra Campêlo (PMDB) vai buscar apoio do Ministério Público Federal, do Ministério Público Estadual e do Tribunal de Contas na luta contra a paralisação das cirurgias de correção de lábios leporinos no Estado. O motivo seria a falta de pagamento do Governo aos médicos especialistas nesse tipo de procedimento, segundo denunciou a parlamentar.

As crianças portadoras da fissura lábio-palatina, conhecida popularmente como lábio leporino, recebiam acompanhamento ambulatorial na Policlínica Gilberto Mestrinho (avenida Getúlio Vargas, no Centro de Manaus). No entanto, nos últimos meses familiares denunciam o descaso do Governo com os pacientes.

“A Susam não tem feito o pagamento dos médicos que fazem esse tipo de cirurgia. Na verdade, a Policlínica Gilberto Mestrinho, que era onde aconteciam esses procedimentos, paralisou as atividades de cirurgias de lábios leporinos porque havia um único médico responsável e ele parou de receber”, afirmou Alessandra.

A deputada disse que, desde junho, enviou vários ofícios para Secretaria de Estado da Saúde solicitando informações sobre a situação.

“Infelizmente, o secretário da Susam não responde a maioria dos nossos ofícios. Ele não respeita essa Casa”, enfatizou Alessandra.

A presidente da Comissão da Mulher da ALE-AM explicou que vai enviar cópias de todos ofícios encaminhados à Susam para o Ministério Público Federal, o Ministério Público Estadual e ao Tribunal de Contas para que esses órgãos cobrem explicações ao Governo.