Clássico violento: Brasil enfrenta Colômbia na Arena da Amazônia valendo lugar no G-4

Neymar e dani capa 2

-Não temos perfil de confusão, de lutadores, temos perfil de jogadores de futebol. Provocação sempre existiu, mas temos que ser mais inteligentes. Queremos jogar futebol, queremos que haja paz, e no final as pessoas desfrutem do espetáculo. Isso não é lutar ou fazer coisas que não têm nada a ver com futebol. Pela rivalidade é normal que falem, mas cada um defende suas cores e todos tentarão um grande resultado. Respeitamos muito a Colômbia – frisou Daniel após o treino desta segunda-feira.

O senso comum pode sugerir que os duelos contra os rivais Uruguai e Argentina sejam os mais tensos, fisicamente falando. Porém, nos números, o duelo mais violento para o Brasil tem sido com a Colômbia. Nas últimas quatro partidas, são nada menos do que 42 faltas, em média, por jogo, quase uma a cada dois minutos.

Desde o fatídico duelo entre ambos pelas quartas de final da Copa do Mundo de 2014, as duas seleções, conhecidas pelo futebol de toque de bola, chamaram muita atenção por partidas repletas de entradas fortes e cartões.

Naquela ocasião, quando o Brasil venceu a Colômbia por 2 a 1 e viu Neymar perder o restante do torneio por causa de uma joelhada de Zúniga em suas costas, o jogo registrou incríveis 54 faltas, além de quatro amarelos.

No confronto seguinte, um amistoso em setembro, que marcaria as pazes de Zúniga com Neymar, mais violência: sete amarelos, sendo dois para Cuadrado, que acabou expulso de campo após entrada forte no principal nome da equipe verde e amarela. Ao menos, as infrações caíram significativamente: 32. O Brasil venceu aquele jogo por 1 a 0.

Já em 2015, a Colômbia bateu o Brasil por 1 a 0 na fase de grupos da Copa América, em um jogo com briga no final, que acabou com expulsões de Neymar e Bacca. Após o apito final, o brasileiro chutou a bola no lateral Pablo Armero e esboçou uma cabeçada em Jeison Murillo. Bacca reagiu com um forte empurrão. Neymar pegou um gancho de quatro jogos que o tirou do restante da competição e do início das eliminatórias para a Copa. Além disso, foram registradas 39 faltas e quatro amarelos na partida.

O último jogo entre os dois países ocorreu neste ano, na Olimpíada. A vitória verde e amarela por 2 a 0 nas quartas de final teve 42 faltas e sete cartões amarelos, sendo seis para o adversário. Do outro lado, reclamou-se de um lance forte de Neymar, que poderia ter sido expulso.

Nos últimos seis anos, os demais jogos da seleção cinco vezes campeã do mundo têm média de 28 faltas por jogo, 14 a menos do que os últimos quatro duelos entre Brasil e Colômbia.

Devido a este cenário recente, o clima quente foi um dos principais assuntos antes do jogo, que ocorrerá nesta terça-feira, às 21h45 (de Brasília), na Arena da Amazônia, em Manaus.

Se já tem sido tenso mesmo em caráter amistoso, o jogo, desta vez, vale. E vale muito. Afinal, depois de sete rodadas, o Brasil está na quinta colocação das eliminatórias com 12 pontos, um a menos do que os colombianos, que aparecem no terceiro posto.

Os quatro primeiros irão se classificar diretamente ao Mundial da Rússia, enquanto o quinto disputará a repescagem contra o campeão da Oceania.

FICHA TÉCNICA:
BRASIL X COLÔMBIA

Local: Arena da Amazônia, em Manaus (AM)
Data: 6 de setembro de 2016, terça-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Patricio Loustau (Argentina)
Assistentes: Ivan Nuñez e Gustavo Rossi (ambos da Argentina)

BRASIL: Alisson; Daniel Alves, Marquinhos, Miranda e Marcelo; Casemiro, Paulinho, Willian, Renato Augusto e Neymar; Gabriel Jesus. Técnico: Tite

COLÔMBIA: David Ospina; Santiago Arias, Jeison Murillo, Oscar Murillo e Farid Díaz; Sebastián Pérez, Carlos Sánchez, Macnelly Torres e James Rodríguez; Luis Muriel e Carlos Bacca. Técnico: José Pékerman