Clientes do DB Ponta Negra são esfaqueados, roubados e têm que pegar ladrão na marra (ver vídeo)

O Radar recebeu denúncia e faz questão de mostrar o que está acontecendo com os cidadãos que vão ao hipermercado DB Ponta Negra, na zona centro-oeste de Manaus. Segundo a denúncia, são várias as ocorrências de crimes registradas no 19º Distrito Integrado de Polícia (19º DIP) e na 19ª Companhia Interativa Comunitária (19ª Cicom), relacionadas a assaltos a clientes dentro do DB da Ponta Negra. A última ocorrência registrada foi na noite da sexta-feira, dia 17, quando policiais militares prenderam Jordan Santos Vaz, 18 anos, por roubo de um telefone celular, às 20h46. O crime ocorreu dentro do estacionamento, no momento em que dois clientes saíam com as compras. Os clientes tiveram que se defender sozinhos e, ajudados por outras pessoas, conseguiram prender um dos ladrões até a polícia chegar.

Jordan Santos Vaz, que reside na Rua Ximeno Villeroy (antiga Rua Pantanal), nº 50, bairro Jorge Teixeira, zona leste de Manaus, foi preso por policiais militares da viatura 6275 da 19ª Cicom e conduzido para o 19º DIP, onde o mesmo foi indiciado por roubo tentado. Jordan foi conduzido à delegacia pelo cabo PM João Bosco Carvalho, que informou que ele foi imobilizado pelas vítimas e por populares, após Jordan e um comparsa, que fugiu do local, terem conseguido roubar o telefone celular de uma das vítimas.

Durante o assalto, as vítimas reagiram e conseguiram imobilizar Jordan, fazendo com que o condutor da motocicleta entrasse em pânico e fugisse do local. Porém, antes de fugir, o motoqueiro jogou o celular roubado no chão, que foi encontrado por populares e entregue às vítimas do roubo. As vítimas do assalto, que não quiseram se identificar por medo de represálias, informaram que os seguranças e vigilantes do hipermercado não fizeram absolutamente nada.

“Eles chegaram somente no final do tumulto, um pouco antes da viatura da PM chegar e queriam que nós soltássemos o homem. E nós dissemos que não iríamos soltá-lo até a PM chegar no local. Foram covardes. Eles viram toda a ocorrência e não se aproximaram para ajudar. Além disso, toda movimentação dentro do DB é monitorada por câmeras, então ficou clara a omissão dos seguranças e vigilantes”, desabafou uma das vítimas.

Problema existe há sete anos

A microempresária Maria de Lourdes, 35 anos, disse que há sete anos, quando estava dentro da loja de cosméticos Comepi, que funciona na área do estacionamento do DB Ponta Negra, presenciou um assalto junto com outros clientes. “Depois que o assalto terminou, os próprios funcionários da loja me disseram que aquele já era o sexto assalto que eles sofriam, ou seja, esse é um problema permanente de falta de segurança. Eu fiquei apavorada”, relatou.

Francisca Rosário, 40 anos, moradora da Compensa, zona oeste de Manaus, conta que foi assaltada dentro do supermercado em duas ocasiões. A primeira vez foi em 12 de maio do ano passado, por volta das 12h, quando foi abordada por um homem aparentando aproximadamente 20 anos que portava um revólver. O ladrão levou o celular da vítima. No segundo roubo que sofreu, em janeiro deste ano, o assaltante levou a sua bolsa com todos os seus pertences pessoais, documentos e dinheiro.

Tipos de ocorrências

De acordo com dados de registros de boletins de ocorrências, já foram realizados diversos tipos de assaltos no DB Ponta Negra: com arma de fogo e arma branca, roubo de objetos e equipamentos de carros de clientes, roubo de sacolas de compras e de celulares de clientes. Dentre os vários casos, se destaca o de uma cliente que, em março de 2016, foi atacada por assaltantes no estacionamento do DB Ponta Negra e foi esfaqueada no rosto, apesar de não ter resistido ao assalto e ter entregue a bolsa com dinheiro e celular. Novamente, a ação dos bandidos foi realizada sem que a segurança do local interferisse, conforme uma amiga da vítima divulgou pelo Facebook.

FOTOS: DIVULGAÇÃO