Coari: Grupo de Adail espalha nas redes sociais notícia de sua soltura enquanto seu vice ensaia se rebelar

adail - igson

Na manhã desta quarta-feira (29) foi transmitida ao Radar por um dos nossos leitores em Coari uma mensagem que teria sido enviada a ele pelo Whatsapp, assim como para centenas de pessoas na cidade: “Notícias de última hora. Prefeito de Coari, Manoel Adail Pinheiro pode ser solto hoje a qualquer momento. Carreata na cidade de Coari levará para as ruas mais de cinco mil pessoas a sua espera”. A mensagem termina com desenhos de balões, confetes e serpentinas, deixando entender que haverá uma festa com a possível soltura de Adail Pinheiro que está preso no Quartel de Cavalaria, no bairro D. Pedro, em Manaus, desde o dia 08n de fevereiro desse ano.

Através do site do Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas (TJAM) não se consegue saber nada sobre a veracidade da informação de uma possível soltura de Adail Pinheiro, já que ao buscar saber sobre a tramitação do processo e alguma decisão que posa ter sido tomada pelo desembargador Rafael Romano, relator da ação, sabe-se que o processo está sob segredo de Justiça – segredo esse que, unido ao fato de que estranhamente nenhum processo contra Adail é julgado pelo TJAM, somente tem beneficiado o acusado.

Ao buscar informações se existem novidades sobre o caso, através do advogado do prefeito afastado Adail Pinheiro, o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil no Amazonas (OAB/AM), Alberto Simonetti Neto, ele informa: “Não fomos notificados de nada, até porque se tivesse saído uma decisão favorável já estaríamos fazendo ser cumprida e já estaríamos comemorando”. Ele lembra que foram feitas várias tentativas de soltar Adail Pinheiro e todos os habeas corpus foram negados pela Justiça. Questionado sobre as informações que chegaram ao Radar de que as testemunhas e vítimas estão mudando seus depoimentos o que já levou a soltura de dois secretários de Adail Pinheiro que estavam presos, e que isso beneficia o prefeito, Simonetti diz que apesar de sempre contribuir com o trabalho dos jornalistas, desta vez, não pode e nem deve falar sobre questões processuais remetendo-se ao segredo de Justiça.

Por outro lado, há quem diga em Coari que a notícia da possível soltura de Adail não passa de um instrumento para pressionar o vice-prefeito e prefeito em exercício, Igson Monteiro a retroceder em sua intenção de se livrar da “turma” de Adail. Em reunião com servidores públicos, Igson Monteiro teria anunciado para a próxima semana uma reforma administrativa com a exoneração de secretários, fiéis escudeiros do prefeito Adail Pinheiro, e que permaneceram em sua administração, assim como a demissão de funcionários contratados por Adail Pinheiro. Igson Monteiro estaria assumindo ares de rebeldia, ensaiando uma carreira solo onde não haveria mais lugar para o pessoal de Adail Pinheiro – o que a gente conhece por tirar os dele e colocar os seus, sabem né? Tarefa difícil de ser feita contando com o fato de que Adail Pinheiro mesmo “preso”, continua dando as ordens de dentro do quartel, e não pretende deixar barato qualquer tipo de rebeldia. (Any Margareth)