Coisas que só o Radar captou pra você no debate dos candidatos a Governo

Pelo jeito, o governador e candidato à reeleição, professor José Melo, ter passado por um treinamento durante todo o final de semana na tentativa de melhorar seu desempenho em debates politicos não adiantou necas de pitibiriba. Melo, mais uma vez, assassinou a gramática engolindo esses – tá certo, que dessa vez menos que no debate anterior – e, mais uma vez, deixou muita gente boquiaberta ao cometer erro inadmissível ao gestor público que tem que ter conhecimento nas mais diversas áreas da administração pública. No primeiro debate, o da TV Band, ao abordar assunto de grande importância em tempos modernos, que é a geração de energia, Melo demonstrou não saber que o nome da energia gerada através da força dos ventos é eólica, e não “aeólica”, como repetiu inúmeras vezes. Dessa vez, o erro foi na área de saúde, quando Melo embolou câncer de mama com câncer de colo de útero, e criou uma enfermidade denominada “câncer de colo de mama”. Pelo amoooor de Deus!

melo-cancer 2

Barata tonta

E, se Melo naturalmente já se confunde todo, mesmo sem ser pressionado, em certo momento do debate ficou desnorteado, tipo barata tonta quando alguém taca veneno. Nesse caso, o “veneno” foi perguntar pro governador o que foi feito com os 20 bilhões a mais que ele e Omar tiveram em quatro anos. Aí, deu gagueira no governador, língua travada e uma tentativa de explicação ao estilo é devagar, e devagar, é devagar, devagarinho… acabou o tempo e não explicou.

Desnorteado

E o governador ficou tão desnorteado no debate que até chegou a rir de si mesmo quando, ao questionar seu opositor, o candidato Chico Preto, o chamou de deputado. E, se ele riu, que dirá nós!

Tá devagar

O candidato Abel Alves tem um negócio de “rechear” suas respostas com um “Éeeeeeee” infindável que, ao mesmo tempo que demonstra incerteza sobre o que está falando, “engole” grande parte do seu tempo e faz com que acabe levando um monte de “plon, pin, ploc” ou qualquer outro tipo de barulho avisando que o tempo acabou.

É verdade?

E a frase que Melo mais usou no debate foi “É verdade sim!”. Uma das vezes que usou a frase foi pra dizer que o Ramal do Banco tem asfaltamento perfeito porque é o mais produtivo de Rio Preto da Eva. Os produtores de Rio Preto da Eva desmentem e dizem que no município têm ramais bem mais produtivos que estão no barro. O Ramal do Banco é onde fica o sitio do governador. Plageando Melo, agora é o Radar que diz: “É verdade sim!”