Anúncio Advertisement

Collor usa cota como senador para manter Casa da Dinda, diz jornal

O ex-presidente e atual senador Fernando Collor de Mello (PTC-AL) estaria usando parte de sua cota parlamentar para manter a Casa da Dinda, mansão localizada no Lago Norte, em Brasília, que se tornou 1 dos principais símbolos de seu governo (1990 a 1992). De acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, o senador usa R$ 40 mil para garantir segurança, conservação, limpeza e jardinagem da propriedade.

O Guia do Parlamentar do Senado não permite serviços de manutenção e limpeza de imóveis privados dos senadores. Tais serviços já são garantidos com recursos públicos para 1 apartamento funcional de Collor mantido pelo Congresso, em Brasília.

Segundo a publicação, de janeiro a outubro, foram gastos R$ 264.624,12 da cota de Collor para pagar “segurança privada” terceirizada na Casa da Dinda. Desde 2011, teriam sido gastos R$ 3 milhões com a mesma empresa de segurança.

Não há, no entanto, regras claras sobre proibição do uso da verba em segurança. Contudo, 1 artigo prevê a destinação do recursos para “serviços de segurança prestados por empresa especializada”, mas este gasto deveria ser feito apenas em escritórios de apoio dos senadores em seus Estados de origem.

O Regimento Interno do Senado lembra que aplicar recursos “recebidos em atividades que não correspondam rigorosamente às suas finalidades estatutárias” é uma “irregularidade grave”.

Procurada pelo jornal, a assessoria de Collor negou que ele desvirtue a cota. Informou ainda que não poderia especificar quais são os serviços contratados por envolver questões de segurança.

Fonte: Poder 360