Com a “benção” dos “caciques” ou do Governo, parlamentos do AM têm 18 novatos

O primeiro turno das eleições no Amazonas trouxe à tona a força dos denominados “caciques’ políticos” ou a influência das relações com a administração pública no processo eleitoral. Na Assembleia Legislativa do Estado (ALE), a partir de 2019, haverá uma renovação de 50% do Parlamento estadual. Na Câmara dos Deputados, o percentual de novos ultrapassou os 50%, já que seis dos oito eleitos exercerão o mandato federal pela primeira vez.

Dentre os ‘novatos’ na ALE está a Dra Mayara Pinheiro (PP), estreante nas disputas pelo Legislativo que já se consagrou como a deputada estadual mais votada em toda história do Amazonas. Mayara se elegeu com as bênçãos do pai, considerado um dos maiores ou quem sabe até o maior cacique político do interior do Estado, o ex-prefeito de Coari, Adail Pinheiro. Ela é irmã do prefeito de Coari, Adail Filho e, atualmente, vice-prefeita do município e ainda é sobrinha do presidente do Legislativo do município, Keitton Pinheiro (PTB).

A influência dos “caciques políticos”, desta feita no Legislativo, ficou clara, ainda, na eleição de Fausto Júnior (PV), sobrinho do deputado estadual Belarmino Lins (PP) e do deputado federal, Átila Lins (PP), ambos colecionadores de mandatos nos Parlamentos. Belão vai para o oitavo mandado na Assembleia Legislativa e Átila para o decimo primeiro mandato em Parlamentos. Fausto Júnior é filho da presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM), Yara Lins.

Nota-se ainda entre os eleitos a ligação com o governo e mais precisamente com a administração na eleição de pelo menos dois novatos na ALE: os empresários Roberto Cidade (PV) e Saullo Vianna (PPS), ambos fornecedores do Governo do Estado. Eles estavam na coletiva do governador e candidato à reeleição, Amazonino Mendes (PDT), após o resultado do primeiro turno das eleições e ganharam cumprimentos do líder político.

Roberto Cidade é sobrinho do deputado estadual Orlando Cidade (PV) que tentou se eleger para a Câmara Federal mas não conseguiu, e é dono da empresa Navegação Cidade Ltda que recebeu da Secretaria de Estado da Educação (Seduc) R$ 13,4 milhões em 2018 por contratos de transporte escolar.

Já Saullo Vianna é procurador da empresa SVX Serviços Profissionais Construções e Transportes Ltda que está em nome de sua mãe, Celia Maria Velame Viana, uma empresa que só este ano já recebeu R$ 33 milhões do Governo do Estado.

O ex-deputado Walzenir Falcão, aquele que foi denunciado pelo Ministério Publico do Estado (MPE-AM) por supostamente participar de uma organização criminosa que teria desviado milhões da Federação dos Pescadores dos Estados do Amazonas e Roraima (Fepesca), conseguiu eleger o filho, Tiago Falcão (Podemos) para a Assembleia Legislativa. Ele teve pouco mais de 13 mil votos e entrou na vaga do deputado estadual Abdala Fraxe (Podemos) que teve mais de 18 mil votos, mas está com o registro de candidatura indeferido pela Justiça Eleitoral – ainda cabe recurso e o deputado Abdala Fraxe disse ao Radar pelo telefone que vai recorrer.

Entre os demais novatos estão o Delegado Péricles (PSL) – que ‘surfou’ entre os apoiadores do deputado federal e candidato à Presidência, Jair Bolsonaro (PSL) – e a vereadora Joana Darc (PR), que adotou o discurso de proteção dos animais e conseguiu 26,8 mil votos, deixando para trás parlamentares experientes politicamente e que conseguiram a reeleição como o petista Sinésio Campos e Adjuto Afonso (PP).

Na Câmara dos Deputados, dos oito deputados federais eleitos, seis são estreantes no parlamento federal: José Ricardo (PT) – o mais votado – , Marcelo Ramos (PR), Sidney Leite (PSD), Bosco Saraiva (Solidariedade), Capitão Alberto Neto (PRB) e Delegado Pablo (PSL).

Os três últimos utilizaram como ‘slogan’ de campanha à segurança pública. Bosco Saraiva é vice-governador e era secretário de Segurança Pública do Governo de Amazonino. Capitão Alberto Neto e Delegado Pablo conseguiram a inédita eleição ao apoiar o candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL). Todos integrantes da administração pública estadual,

Nestas eleições, mais de 70 candidatos com patente militar foram eleitos em todo o país, segundo dados da Agência Brasil. Ao todo, em um levantamento feito pela Agência Brasil que considera apenas os que se declararam militares, é possível apontar pelo menos 79 nomes confirmados também para cadeiras no Congresso Nacional e nas assembleias legislativas. Entre estes, já estão asseguradas duas vagas no Senado e 22 na Câmara. Nos Estados, o número passa de 60 parlamentares.