Com apoio da torcida, Grêmio quer sufocar Sport para deixar zona de rebaixamento

© LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA

O Grêmio passou mais de um turno na zona de rebaixamento do Brasileirão. Chegou a ter mais de 50% de chances de queda e, neste domingo, às 20h30, na Arena Grêmio, depende apenas de suas forças para sair do temido Z4. Com apoio da torcida, o time promete sufocar o não menos ameaçado Sport para ter momentânea situação de alívio na competição.

Ganhar significa dormir fora da faixa com os quatro piores colocados do Brasileirão. Como o Santos não joga no fim de semana – o jogo com o Fluminense foi adiado para dia 17 -, o time gaúcho ganharia a posição dos paulistas, que abriram a rodada no 16° lugar, hoje o sonho dos gaúchos.

“Vai ser um jogo difícil e a torcida vai ajudar bastante. Depois de muito tempo, ter esse reencontro será fantástico, independentemente das cobranças”, afirma o meia Douglas Costa, louco para um reencontro com os gremistas após muitos anos fora do País. “Quero responder à altura e espero que a gente saia vitorioso, porque estamos trabalhando pra isso”, segue o meia, que jogou pela última vez diante dos torcedores em 2009.

Disposto a ajudar a tirar o Grêmio do perigo no Brasileirão, Douglas Costa aposta na semana intensa de trabalho para, enfim, provar que pode render o esperado pelo clube. O jogador sofreu com problemas físicos e agora está pronto para “mostrar seu valor”.

“Meus companheiros sabem que podem contar comigo, ajudo dentro e fora de campo. Posso voltar a ser o cara que faz a diferença. Não sozinho, mas em conjunto, conseguir coisas boas para o Grêmio”, acredita Douglas Costa, evitando falar o quão melhorou fisicamente.

São 15 jogos disputados e ele ainda busca o primeiro gol neste retorno. Garante estar preparado para suportar as cobranças e usa os primeiros seis meses sem sucesso na Juventus, após ser contratado do Bayern machucado, para se motivar a “deslanchar.” “O começo na Juventus também foi ruim, mas depois tudo deu certo.”

Na vice-lanterna, o Sport vive uma turbulência fora de campo. Na sexta-feira, o atacante André pediu para deixar o clube, seguindo o mesmo ritual da semana passada quando o time pernambucano já tinha rescindido com o meia Thiago Neves. Alheio a esta debandada, o Sport busca reencontrar seu rumo dentro de campo,

O técnico paraguaio Gustavo Florentín, que teve o nome cogitado para deixar o cargo junto com a antiga diretoria, procura focar dentro de campo para tirar o time da zona de rebaixamento. Apesar dos salários estarem ainda atrasados.

“Foi uma semana que aconteceram muitas coisas internamente, estamos lidando dia a dia e torcendo para que possa haver uma melhoria no ambiente. É uma pena, mas estou focado no trabalho para o qual fui contratado e quando vier a nova diretoria com certeza vamos conversar, mas por enquanto tenho que cumprir minha missão. Minha cabeça está focada em preparar a equipe ideal, na estratégia que ela possa ter”, declarou Florentín.