Com estimativa de 510 novos casos até o final do ano, especialista alerta para mitos que prejudicam prevenção ao câncer de próstata

ANOAR SAMAD- UROLOGISTA
Com a estimativa de 510 novos casos no Amazonas, sendo 310 somente em Manaus até o final deste ano, o câncer de próstata é o tipo que mais atinge homens com mais de 50 anos. Mesmo comum, de acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), pesquisas apontam sobrevida de 80% dos pacientes diagnosticados.

Os mitos que se formaram em torno do diagnóstico da doença são alguns dos principais fatores que afastam homens dos consultórios, segundo alerta o médico urologista Anoar Samad, que há 20 anos atua na conscientização de homens sobre a doença e também realizou, em Manaus, em 1996, a primeira  cirurgia de câncer de próstata da Amazônia.

Ele destaca os principais mitos mais comentados pelos homens e percebidos ao longo de sua experiência. “Doutor eu não sinto nada pra que eu vou fazer este exame?”. Segundo ele, essa pergunta é mais comentada. “O câncer de próstata na sua fase inicial não dá sintomas, ou seja , o homem está carregando um câncer, que está crescendo dentro dele e ele não sente nada . Portanto, falo para os pacientes que eles não esperem sentir alguma coisa para procurar o médico. Na maioria das vezes pode ser muito tarde”, disse o médico.

Outra pergunta muito comum é “Doutor eu ouvi dizer que não precisa mais realizar o toque retal, basta o exame de sangue”. “Todo homem acima de 45 anos deve realizar um exame de sangue chamado PSA e o exame de toque retal uma vez por ano. Os homens que tem algum familiar com câncer de próstata, esta idade de início deve ser a partir de 40 anos.  O homem deve realizar os dois exames,  eles se complementam e não pode substituir um ao outro. Tem de fazer os dois”, ressaltou.

Outro mito cerca aqueles que já passaram pela cirurgia após o diagnóstico de câncer. “Doutor eu operei da próstata faz anos e meu médico disse que tirou tudo. Ainda tenho de fazer exames?”. Para esses, o médico Anoar Samad explica que existe uma outra doença na próstata, muito comum que é a chamada Hiperplasia Benigna da próstata ou Aumento da próstata.

“Este aumento ocorre no interior da próstata ( miolo ) e muitos homens se operam deste problema porque apresentam dificuldade de urinar. Esta cirurgia retira todo o ‘miolo’ da próstata mas a ‘casca’ continua lá e é justamente nela que surgem ou nascem a maioria dos cânceres de próstata. Portanto mesmo operado tem de realizar o exame anual”, destacou.

De acordo com o médico, o grande problema do diagnóstico ainda é o preconceito quanto ao toque retal. “Infelizmente, muitos homens ainda se negam a realizar seus exames para simplesmente evitar o exame de toque retal. Por isso, muitos homens ainda descobrem que estão com câncer em uma fase tardia dificultando demais a possibilidade de cura”, afirmou.

Fazendo os exames regulamente, o homem tem mais chance de ter um diagnóstico precoce da doença e melhores chances de tratamento. “O tumor de próstata demora em média até dois anos para duplicar de tamanho, fator que torna a prevenção contra esse tipo de câncer fundamental para salvar vidas, principalmente, para homens a partir dos 50 anos”, afirmou Anoar Samad.

Ele ressalta ainda que, mesmo os tumores mais agressivos, tem, de forma geral, uma lenta evolução. “O homem que está com câncer de próstata em estágio inicial, não sente nada. Por isso a importância do exame anual, porque permite que o câncer seja diagnosticado ainda no seu estágio inicial, com boas chances de tratamento e cura”, afirmou Anoar.

O médico destaca a necessidade de campanhas de conscientização para alertar os homens a respeito da prevenção ao câncer. “Há dez anos, o percentual de homens que faziam o Exame de Próstata não chegava a 10%. Essa realidade já mudou bastante, alcançando 50% dos homens na faixa etária recomendada. Quando mais falarmos a respeito, mais vidas estaremos alcançando”, disse.