Com lideranças do interior, Melo diz acreditar num segundo turno onde enfrentará Braga. Será?

mello-braga 2Em encontro com dois ex-prefeitos do interior, que ainda possuem forte liderança em seus municípios, e ambos de partidos que ensaiam ter candidaturas próprias para o Governo nas eleições deste ano, o vice-governador José Melo e candidato declarado ao Executivo estadual, teria tido uma conversa no melhor estilo contemporizador. Os dois ex-prefeitos, com ares de constrangimento, teriam lembrado ao vice-governador de suas obrigações partidárias no sentido de apoiarem possíveis candidaturas majoritárias de suas siglas e dizem ter ficado surpresos com a reação de Melo que, entre sorrisos e afagos teria demonstrado ver com total normalidade não tê-los em seu palanque nas eleições. Dizem as lideranças do interior, que Melo até chegou a elogiá-los pela fidelidade partidária, dizendo ainda que todos os candidatos ao Governo são políticos por quem tem amizade, que vê com bons olhos a existência de outras candidaturas, e falou em tom de certeza que haverá um segundo turno onde, deixou escapar a vidência de que estará na disputa com o senador Eduardo Braga. “Aí voltamos a conversar”, teria dito Melo.

Fragilizado

Em reunião com outra liderança do interior, Melo teria confidenciado estar empolgado com a receptividade dos políticos interioranos para com sua candidatura, comentando que isso seria resultado de atitudes do próprio ex-governador e hoje senador Braga que afastou tradicionais aliados. Pelo jeito uma das mais famosas premissas políticas está mais do que nunca em prática nessa eleição: o adversário de hoje pode ser o aliado de amanhã, e vice-versa.

A voz do silêncio

E vira e mexe alguém pergunta com estranheza para o pessoal aqui do Radar sobre o silêncio de Braga, em contraste com o “barulho” que Melo tem feito pelo interior, sem parar nem mesmo nos finais de semana, feriado e dia santo. Por aqui, a gente se resume em tentar decifrar a voz do silêncio que nem sempre é sinal de calmaria, muitas vezes é tempestade a vista, com raios e trovões.

Silêncio de Omar

E outra estranheza tem costumeiramente surgido nas conversas com parceiros do Radar do interior do Estado que são testemunhas de encontros de prefeitos com o governador. O fato do governador Omar Aziz sair pela tangente quando se fala em eleições ao Governo. O que será?

E Rebeca?

Outro silêncio que tem sido notado é o da deputada federal Rebeca Garcia (PP) que chegou a fazer barulho garantindo que seria candidata do seu partido ao Governo do Estado,  inclusive com reunião da cúpula do partido nacionalmente e outros lances pra lá de midiáticos. E, de repente tomou chá de sumiço.