Com salário de quase R$ 5 mil, MPF abre processo seletivo para bacharel em Direito em Manaus

Novo servidor atuará no 5º Ofício da Procuradoria da República no Amazonas, que tem atuação em temas relacionados aos povos indígenas e comunidades tradicionaiS

Foto: Divulgação/MPF-AM

O Ministério Público Federal (MPF) no Amazonas está com inscrições abertas para o processo seletivo para preenchimento de uma vaga para o cargo em comissão assessor nível 2 (CC-2). A remuneração para o cargo é de R$ 4.962,19, com o acréscimo de auxílio-alimentação de R$ 910 e outros benefícios previstos em lei.

Os interessados devem encaminhar e-mail para o endereço [email protected] até o dia 9 de março de 2022 com os seguintes documentos anexados em PDF: curriculum vitae, com foto 3×4, contendo dados de identificação, formação escolar, títulos, cursos e experiências profissionais e suas respectivas documentações comprobatórias; um exemplo de redação jurídica (peça processual, artigo científico, etc) assinada pelo próprio inscrito (peticionada em juízo, publicado em periódicos, sítios eletrônicos, etc); resposta ao seguinte questionamento – Como é a sua experiência em atendimento ao público e em dar aconselhamento jurídico claro e rápido para pessoas sem formação jurídica?

O candidato deve ter disponibilidade para viagens, interesse em matéria fundiária, direitos fundamentais e técnicas de resolução de conflitos. Também é necessário experiência prévia demonstrada com atuação socioambiental (comunidades tradicionais e/ou povos indígenas. O mesmo atuará no 5º Ofício da Procuradoria da República no Amazonas (PR/AM), que trata de assuntos relacionados aos povos indígenas e comunidades tradicionais, em Manaus.

Fases do processo seletivo

O processo seletivo será realizado em duas fases e conduzido pelo procurador da República titular do 5º Ofício. A primeira fase consiste na análise do currículo e apresentação de documentação. Na avaliação curricular, serão consideradas a experiência profissional e o conhecimento técnico do candidato, por meio da análise dos títulos, cursos e outras atividades declaradas.

Os candidatos selecionados após a análise curricular passarão para a segunda fase, prevista para ser realizada de 15 a 17 de março, com entrevista pessoal e aplicação de breve prova escrita. A prova escrita, a ser aplicada durante a entrevista pessoal, terá duração de 30 minutos e o conteúdo versará sobre direitos dos povos indígenas e comunidades tradicionais.