Começou o UFC entre Wilson e Carlos

O que antes não passava de comentários nas coxias da sede do governo ou conversas ao pé do ouvido de personagens políticos locais – euzinha fui até esculachada pelas redes sociais e acusada de criar intriga, né gente! – agora ficou escancarado de vez. Definitivamente já começou o “fight” entre o governador Wilson Lima e seu vice, Carlos Almeida. E essa é uma luta de vale-tudo, onde vale tudo mesmo, até dedo no olho e chute abaixo da linha da cintura.

Carlos Almeida tornou pública sua insatisfação e começou uma guerra judicial contra o governador ao ingressar, na sexta-feira passada (4), com um mandado de segurança contra o governador Wilson Lima, por ter exonerado cargos de confiança da vice-governadoria e ainda transferir servidores para a Casa Civil.

Por sua vez, ficou claro que Wilson Lima decidiu deixar seu vice a pão e água, começando por esvaziar seu gabinete. Ele assinou decretos que retiraram os ocupantes dos cargos de secretário geral do vice-governador e de mais oito servidores da vice-governadoria, entre técnicos e gerentes.

Mas é lógico que isso também tem a ver com o período eleitoral e os interesses políticos contrariados. É só ver que o cargo de secretário geral da vice-governadoria foi transformado em coordenador-geral e foi parar num projeto de autoria do Executivo estadual – ler Wilson Lima – visivelmente assistencialista e eleitoreiro que está na Assembleia Legislativa do Estado (Aleam), criando a Unidade Integrada de Articulação das Comunidades.

Com isso, Wilson dá um pontapé no traseiro do seu vice em plena disputa eleitoral, deixando claro que vai beneficiar seus xerimbabos e apaniguados e num quer nem saber como Carlos Almeida cuidará dos seus.

Usando as “armas” que ele (Carlos Almeida) conhece como ninguém devido a sua carreira de defensor público – só que agora defende sua própria sobrevivência política -, o vice-governador pede que a Justiça suspenda os efeitos dos Decretos Governamentais de nº 42.606/2020 e nº 42.691/2020, a fim de que seja restituído o cargo de secretário geral da vice-governadoria e demais cargos de assessoria.

Em ataque direto ao governador, o vice chama o ato de Wilson Lima de “antidemocrático e ilegal”.

O vice-governador pede celeridade no processo e afirma que a atitude de Wilson Lima foi um atentado à democracia.

E quem está de “juiz do UFC” de Carlos e Wilson é o desembargador Cláudio César Ramalheira Roessing.