Comissão de Direitos Humanos da Aleam reconhece risco do retorno das atividades escolares presenciais e pedirá suspensão das aulas (ver vídeo)

blank

Foto: Geovani Leite / Radar Amazônico

A Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) realizou uma audiência pública nesta quinta-feira (24) com os representantes do Sindicato dos Professores e Pedagogos das Escolas Públicas de Manaus (Asprom Sindical) para tratar sobre o pedido de suspensão das atividades escolares presenciais na rede estadual. Diante dos dados alarmantes da Covid-19 apresentados na reunião, a Comissão entrará com um pedido para que o governo do Estado suspenda as aulas presenciais.

Participaram também da audiência pública, cientistas da FioCruz, representantes do Ministério Público do Trabalho (MPT), além de professores da Universidade Federal do Amazonas (UFAM). A decisão do governo de fechar bares e restaurantes para evitar a propagação da Covid-19, e manter as aulas presenciais, foi considerada como contraditória pelo presidente da Comissão, deputado Dermilson Chagas.

“Isso é contraditório, está ai os fatos e isso não é de hoje! Estamos mostrando como está a situação da saúde e o governo toma uma decisão que mostra como ele é contraditório. Eu espero que os Ministérios Públicos Federal e Estadual e outros órgãos de fiscalização tomem providências, pois o que não dá é pro governador ficar no quartelzinho dele la na Compensa e o povo ficar desprotegido na rua”, disse Dermilson Chagas.

Para o coordenador da Asprom Sindical, Lambert Mello, a audiência pública foi um grande passo mas ainda é preciso alertar sobre o risco do retorno das aulas presenciais na rede fundamental de ensino previstas para começarem no dia 1º de outubro.

“Não aceitem essa determinação do governador, não mandem suas crianças para as escolas, nós temos mais de dois mil professores contaminados nos últimos 45 dias. A coisa vai piorar com o retorno do fundamental, porque essas crianças não tem a consciência de o que significa o distanciamento social e não poder dar uma abraço no seu amigo”, disse Lambert Melo.

Segunda onda de Covid-19 no Amazonas

O cientista Lucas Ferrante participou da audiência pública e afirmou que a cidade de Manaus está passando pela segunda onda de Covid-19, o cientista disse também que a cidade ainda não atingiu a chamada imunidade de rebanho, isto é quando a grande maioria de habitantes de uma cidade já teve contato com o vírus e adquiri a imunidade .
“Os próprios números de internações mostram isso, mas é importante dizer que a segunda onda não será tão aguda quanto a primeira e que ainda não atingimos a imunidade de rebanho. As escolas não estão preparadas para este retorno e os números da Fundação de Vigilância em Saúde não tem sido transparentes”, disse Lucas Ferrante.

Comissão de Direitos Humanos da Aleam ouve classe dos professores

Comissão de Direitos Humanos da Aleam ouve classe dos professores

Posted by Radar Amazônico on Thursday, September 24, 2020