Compra de respiradores no Amazonas: dados de celulares podem levar gente pra cadeia

O Radar captou a seguinte informação neste domingo, dia 21 de junho: celulares que já estão em poder da Polícia Federal (PF) fazem um diagnóstico claro de como se deu a compra, com dispensa de licitação, dos 28 ventiladores pulmonares que custaram R$ 2,9 milhões aos cofres públicos e de onde partiram as ordens para que o negócio fosse feito. Segundo fonte do Radar, esses dados dos celulares mostram que estava claro para os mandantes da compra que haveria uma dispensa de licitação direcionada para beneficiar uma respectiva empresa e que os equipamentos estavam com sobrepreço.

A história da compra desses respiradores, que depois descobriu-se serem ventiladores pulmonares, em uma Loja de Vinhos, com indícios de superfaturamento, começou com uma matéria do Radar, no dia 13 de abril– está com data do dia 14 de abril por causa de uma atualização da matéria feita nesta data com a resposta da Susam.

Esses dados sobre os detalhes sórdidos da compra dos ventiladores pulmonares estão em celulares de servidores da Secretaria de Estado da Saúde (Susam) que foram apreendidos durante a Operação Apneia, deflagrada no dia 10 de junho pelo Ministério Público do Estado (MPE-AM). Os celulares, assim como computadores e documentos apreendidos durante a Operação Apneia, foram parar na PF depois que o Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu puxar para si a atribuição de investigar o governo de Wilson Lima sobre um suposto crime de corrupção com dinheiro público destinado a pandemia.

Um desses celulares que teria bastante dados reveladores é, segundo a fonte, o da Gerente de Compras da Susam, Alcineide Figueiredo, que já fez antever a gravidade da situação quando prestou depoimento na CPI da Saúde da Assembleia Legislativa do Estado. Ela inclusive chegou a citar conversas através de seu WhatsApp, que comprovariam que o Governo sabia que existia uma proposta com preços bem menores.

“Esse processo dos 28 ventiladores não nasceu do nada. Não nasceu do nada. Nós tínhamos a proposta da Sonoar bem antes do dia 1º (de abril). Essa moça foi apresentada via WhatsApp liga pra Luciane, que a Luciane tem uma proposta através da secretária Daiana. No meu celular, que foi apreendido, se não for apagado, não sei como funciona por lá, consta o áudio, liga pra Luciana que ela tem…”, disse Alcineide aos deputados.

Por causa das revelações que estão nesses dados de celulares tem gente que não está nem dormindo direito, conta a fonte, indo além ao dizer: tem gente que já está até atrás de Habeas Corpus pra se livrar da cadeia!