Comunidades remotas do Amazonas terão ações de prevenção à Covid-19 por meio de doações

Seis comunidades de difícil acesso no Amazonas serão beneficiadas com uma doação de R$ 1,5 milhão em recursos destinados à Organizações Não-Governamentais (ONGs) para o atendimento por meio de polos de telessaúde, fortalecimento dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e segurança alimentar, a partir de janeiro de 2021.

As comunidades  beneficiadas serão: Comunidade São Raimundo da Reserva Extrativista (Resex) Médio Juruá, no município de Carauari; Comunidade Nova Esperança da Resex Baixo Jutaí, no município de Jutaí; Comunidade Marauaá da Resex Auati-Paranã, no município de Fonte Boa; Comunidade Curimatá de Baixo da Resex Capanã Grande, no município de Manicoré; Comunidade Ponto do Campo da Resex CapAnã Grande, no município de Manicoré; Comunidade São Sebastião da Flona Tefé, no município de Tefé. A doação foi feita pela indústria multinacional em alimentos JBS, por meio do programa “Fazer o Bem Faz Bem – Alimentando o mundo com solidariedade”, em parceria com a Fundação Amazonas Sustentável (FAS), que desenvolve a “Aliança COVID Amazonas”.

Para o coordenador do Programa de Saúde na Floresta da FAS, Luiz Castro, a doação vai amenizar o sofrimento das populações ribeirinhas do Amazonas.

“A telessaúde implementada nas áreas remotas ameniza o sofrimento das populações, evita deslocamentos desnecessários e ainda contribui para o trabalho dos Agentes Comunitários de Saúde. A parceria também viabilizará a capacitação técnica e instrumentos de trabalho para os ACS como macas, oxímetros, termômetros, entre outros. Além disso, estão previstas ações que beneficiam as comunidades onde esses profissionais residem”, disse Castro.

Além do Amazonas, a JBS vai doar R$ 400 milhões para mais de 290 cidades, beneficiando 77 milhões de pessoas no país no combate à Covid-19.