Comunidades ribeirinhas recebem acesso à água potável através de projeto da Coca-Cola Brasil e FAS

Cerca de cinco comunidades ribeirinhas no Amazonas terão água tratada através de soluções inovadoras e autossustentáveis, como os sistemas movidos a energia solar, implementada Aliança Água+ Acesso. A previsão é de que até o final de novembro o programa, desenvolvido pelo Instituto Coca-Cola Brasil em parceria com a Fundação Amazonas Sustentável (FAS) e outras 12 organizações, já esteja funcionando.

A primeira das novas comunidades no estado a ser contemplada com acesso à água, no próximo dia 30, será a comunidade Santa Rita, na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Piagaçu Purus, em Beruri (a 173 quilômetros de Manaus). Na comunidade foi instalado um sistema de abastecimento e tratamento de água que beneficiará 114 pessoas. O novo sistema receberá manutenção e gestão dos próprios moradores, que serão treinados para isso.

Atualmente, a parceria entre o Instituto Coca-Cola Brasil e FAS leva água potável para mais de 200 pessoas em três comunidades ribeirinhas do Amazonas. As primeiras a terem acesso à água tratada e ao abastecimento em casa, ainda em 2017, foram as comunidades Solimõeszinhos, Marajá e Tatulândia, localizadas na RDS Puranga Conquista.

Segundo Rodrigo Brito, coordenador do programa pelo Instituto Coca-Cola Brasil, a meta do programa com a FAS no Amazonas é impactar mais 492 famílias e 1164 pessoas em outras dez comunidades ribeirinhas do estado até abril de 2019.

“A Aliança Água+ Acesso surge da observação do nosso cotidiano, junto com os parceiros locais. A poucos quilômetros da operação ou do ponto de venda vê-se comunidades sem água potável. Não podemos ser indiferentes a essa situação. Água é o DNA do nosso negócio e estamos determinados a criar valor além das fronteiras das nossas fábricas e da nossa cadeia produtiva. Por meio dessa aliança buscamos potencializar o ecossistema de acesso à água no país. Acreditamos que podemos usar nossa capilaridade, expertise e vocação e contribuir para que cada vez mais brasileiros tenham acesso à água de forma segura e sustentável”, afirma Rodrigo Brito.

Novas comunidades

Na RDS Rio Negro será implantado um sistema de água com rede de distribuição e tratamento, movidos a energia solar, que contemplará 115 pessoas da comunidade Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. As comunidades Nossa Senhora Aparecida, Nossa Senhora de Nazaré e Santa Sofia, localizadas na Reserva Extrativista Catuá Ipixuna, receberão o mesmo sistema. O número de beneficiados nestas localidades chega a 127.

Com informações da assessoria