Confirmada notícia do Radar: PSC, partido ligado à Silas Câmara, sai da coligação de Melo e fica com Braga

silascamara-.francisco siuza

Foi confirmada agora à noite (domingo/29), notícia divulgada pelo Radar nesta sexta-feira (27), sob o título “PSC partido ligado a Assembleia de Deus de Silas Câmara se rebela e deve abandonar as hostes de Melo nas próximas horas”. O PSC acaba de decidir que sairá do arco de alianças do governador José Melo, candidato à reeleição, e dará apoio à candidatura do senador Eduardo Braga. Quem esteve a frente das articulações para que o PSC apoiasse a candidatura do governador José Melo foi o deputado federal Silas Câmara, que integra a tríade de uma mesma família, os Câmara, que são pastores e dirigentes da igreja Assembleia de Deus no Amazonas, e em Belém (PA). Além de Silas, tem seus dois irmãos, Jonatas e Samuel Câmara – sem contar com mais um dos irmãos que é coronel da PM, Dan Câmara, atualmente ocupando o cargo de secretário executivo adjunto de Segurança para Grandes Eventos do Governo de José Melo.

Silas já foi membro do Partido Social Cristão (PSC) que tem como vice-presidente nacional outro pastor da Assembleia de Deus, pastor Everaldo, pré-candidato à Presidência da República. Na presidência regional do partido está o deputado estadual Francisco Souza, também da Assembleia de Deus, e integrante do grupo político de Silas Câmara. Outro deputado estadual que também integra o grupo dos irmãos Câmara, na Assembleia de Deus, é Wanderley Dallas, mas este é membro do PMDB de Braga.

Ou seja, Silas está ao lado de Melo, mas os dois deputados da sua igreja estão agora ao lado de Braga. Há quem explique o fato dizendo que os aliados de igreja e de política de Silas cansaram de servir apenas aos interesses da família Câmara, que no afã de manter o poder seja político ou religioso não demonstra preocupação com a possibilidade de que os membros de seu grupo percam as eleições e os respectivos mandatos.

Mas há quem aposte em maquinação política ainda mais terrível onde as juras de Silas para Melo foram em vão diante do fato dele ter visto que a candidatura do governador à reeleição não tem decolado como o previsto e que Melo está cada vez mais enfraquecido com as uniões políticas feitas por Braga. E aí, o “apóstolo” Silas Câmara decidiu trocar de “mestre” mas sem fazer alarde, apenas articulando para o PSC mudar de lado. (Any Margareth)