Confrontando-se com o grupo político do marido senador Omar, Nejmi Aziz larga a peia no governador e no prefeito pelas redes sociais

neji 2

Clique aqui para ampliar

Clique na imagem para ampliar

Ao contrário do que dizia quando foi pra rua – flagrada fazendo campanha até dentro de igreja, lembram gente? – para defender a reeleição do seu candidato, o governador professor Melo, a quem denominava de “homem bom e justo”, a ex-primeira do Estado, Nejmi Aziz, do mesmo partido do marido o PSD, decidiu se confrontar com a posição do senador Omar Aziz que só faz elogios ao governador, e através de seu Facebook, lançou pesadas críticas ao Governo do Estado. O prefeito de Manaus também não escapou da peia da ex-primeira-dama Nejmi Aziz.

Ela nem precisou citar nomes pra se entender de que estava falando do governador e do prefeito. Comentando sobre a situação do conjunto habitacional popular Viver Melhor ela escreveu: “precisa muito das creches, escolas municipais, postos de saúde, ronda da polícia – será que dava pra ela perguntar do marido cadê o Ronda no Bairro? – e o mercado de feira que foi prometido desde a gestão anterior”.

E como aqui no Radar só têm cabeças pensantes, dá vontade de perguntar: Mas as “gestões anteriores” das quais ela está falando não são exatamente do seu candidato à reeleição, professor José Melo, e do ex-governador e senador Omar Aziz, seu marido, que inauguraram o Viver Melhor? Então, quer dizer que “a grande dama” decidiu dar pito em seu próprio grupo político é? Mas ela já esqueceu que durante a campanha política, ela fazia parte do grupo político que fez as tais promessas no Viver Melhor?

E a bronca da ex-primeira-dama não para por aí: “repasso os apelos que hoje eles sentem na pele e não conseguem chegar perto de alguém que os ouça ou muito menos de quem eles elegeram”. Êta nós! É isso mesmo que a gente está lendo? Então porque ela não cobra do senador Omar que ouça aquele povo, já que ele foi eleito senador do Amazonas e do seu candidato professor Melo, que foi reeleito governador? Será que está difícil até pra ela falar com eles?

E num puxão de orelha nem um pouco delicado a grande dama deixa entender que os gestores públicos estão “fugindo desse povo” e cobra respeito dos eleitos no Estado: “Assim como eles respeitaram vocês, respeitem eles também”. (Any Margareth)