Conselho da Petrobras se reúne nesta segunda para avaliar troca de comando

O Conselho de Administração da Petrobras terá uma reunião extraordinária nesta segunda-feira (27) para avaliar a indicação de Caio Mário Paes de Andrade à presidência da estatal. O horário previsto para o encontro é 11 horas.

Caso Paes de Andrade seja aprovado, a posse pode ocorrer já nesta tarde.

O encontro segue a esteira do aval do Comitê de Elegibilidade da Petrobras (Celeg), que, na noite da última sexta-feira (24), decidiu que o ex-secretário de desburocratização do Ministério da Economia pode ser presidente da estatal mesmo sem preencher a todos os requisitos técnicos previstos na lei.

Foram três votos favoráveis e um contrário, vindo do presidente do Celeg, Francisco Petros, representante de acionistas minoritários.

O executivo foi indicado para assumir o comando da empresa logo após a demissão de José Mauro Coelho, há cerca de um mês. O processo de checagem do indicado, no entanto, não aconteceu antes da renúncia do então presidente na última segunda-feira, pressionado por um novo reajuste nos preços dos combustíveis.

Com a saída de Coelho, o processo de substituição foi agilizado, segundo apurado por reportagem da CNN.

Caso aprovado, Paes de Andrade será o quarto presidente da estatal durante o governo Bolsonaro.

Saiba quem é o indicado à presidência da estatal

Caio Paes de Andrade tem formação em Comunicação Social pela Universidade Paulista, pós-graduação em Administração e Gestão pela Harvard University e Mestre em Administração de Empresas pela Duke University.

O executivo vem da Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia, onde era responsável pela plataforma Gov.br.

Em 2019, passou da iniciativa privada para a pública, onde atuou como presidente do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), empresa pública de prestação de serviços de Tecnologia da Informação, até agosto de 2020, quando foi para a secretaria do Ministério.

Andrade também é membro do Conselho de Administração da Embrapa e da PPSA (Pré-Sal Petróleo S.A).