Contrariando todas as regras de etiqueta e respeito religioso, ex primeira-dama decide fazer campanha até na igreja

nejmi 44

Para quem já foi primeira-dama do Estado deveria se esperar regras de etiqueta, fineza no tratamento com seus semelhantes e respeito pela Casa de Deus. Porém, num comportamento totalmente oposto a esses critérios de civilidade, a ex primeira-dama do Estado, Nejmi Aziz, decidiu fazer campanha política no portão da igreja de Aparecida, fixando nas camisas dos fiéis, de forma constrangedora e autoritária, adesivos com propaganda política de seus candidatos, o governador José Melo e Omar Aziz – esses adesivos são mais conhecidos como “praguinhas”, nome bem próprio para o comportamento da ex primeira-dama.

Pessoas que não concordaram nenhum pouco com essa atitude da dita senhora captaram imagem e enviaram ao Radar, e ainda comentaram que alguém deveria dar umas aulas de ensino religioso a ex primeira-dama – que não seja o deputado federal Silas Câmara porque ele age igualzinho na igreja Assembleia de Deus. Para alguém que já foi citada como exemplo de requinte, sendo chamada nas colunas sociais de “Diva” (no sentido figurado seria uma divindade feminina, uma deusa), e que viveu posando de cristã e professando fé em Deus, seria de bom tom lembrar o terceiro mandato onde está escrito que “não tomarás o nome do Senhor, teu Deus, em vão”, ou seja, será que aos olhos de Deus não seria uma profanação cultuar seu santo nome, e ao mesmo tempo falar de candidaturas, dentro da Casa do Senhor?

Será que a ex primeira-dama, que sempre se disse tão religiosa, não conhece os mandamentos? Lembrando ainda o que está na Bíblia sobre a expulsão dos comerciantes do Templo por Jesus Cristo, onde ele disse: “Não façais da casa do meu Pai uma casa de negócios”, caso a ex primeira- dama estivesse naquele tempo, tratando de “negócios” politicos dentro da Casa de Oração, levaria umas boas chibatadas e seria expulsa do Templo Sagrado. (Any Margareth)