Para Josué, contrução de estrada Boa Vista – Georgetown vai alavancar economia do Amazonas e de Roraima

Foto: divulgação/assessoria

A conclusão da estrada que poderá ligar Boa Vista (RR) ao porto de Georgetown, na Guiana, vai impulsionar a economia do Amazonas e de Roraima porque se tornará em rota alternativa para escoar a produção da Zona Franca de Manaus e alcançar os mercados da América do Norte, Europa e Ásia. Isso foi defendido pelo presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), deputado Josué Neto (PRTB), nessa terça-feira (1). O assunto foi tratado em reunião com senador de Roraima, Chico Rodrigues (DEM-RR), um dos principais defensores da estrada no Congresso.

Para Josué, a conclusão do trecho entre Bonfim (RR) e Linden (Guiana) pode tornar a rota por Boa Vista até Georgetown uma rota comercial mais rápida, tornando o Amazonas mais atrativo a novos investimentos, potencializando o turismo, o mercado de petróleo e gás, aumentando o número de empregos, renda e arrecadação estadual.

Josué acredita que a rota Porto Velho (RO), Manaus, Boa Vista (RR), Georgetown (Guiana) pode promover o desenvolvimento de toda a região norte do Brasil. “Todos vão ganhar. Vai ganhar a economia do Estado de Rondônia via BR-319, favorecendo a indústria da Zona Franca de Manaus, as indústrias da ZFM poderão exportar seus produtos para a Europa, Ásia e América do Norte via estrada de Roraima e porto de Georgetown. Isso prevê um grande desenvolvimento econômico para o norte do país”, afirmou.

Na última semana o ministro de Infraestrutura, Tarcísio Gomes, autorizou a conclusão das obras da BR-319, estrada que vai interligar Porto Velho (RO) a Manaus.

Projeção econômica

De acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI), a economia da Guiana, que tem quase 800 mil habitantes, será a que mais crescerá no mundo até 2025, devido ao petróleo que está começando a emergir do seu subsolo. Para o deputado Josué, o país pode se tornar um grande parceiro comercial da Zona Franca de Manaus, tendo em vista seu potencial de crescimento e sua posição geográfica estratégica.

Com informações da assessoria do deputado