Coordenador de campanha do candidato da coligação “Ficha Limpa para Coari” tem cargo no Governo do Estado e na prefeitura

Ou o coordenador da “Coligação Ficha Limpa para Coari”, Plácido Izanio Dantas, tem o poder da onipresença , ou seja, consegue estar em vários lugares ao mesmo tempo, do tipo Manaus e Coari, cidades com 363 quilômetros de distância, ou é servidor fantasma. É isso que a Justiça Eeitoral que saber através de uma Ação de Investigação Judicial Eeitoral (AIJE) que tem como investigados, além do servidor público e coordenador de campanha, Plácido Izanio, também o candidato a prefeito da Coligação Ficha Limpa para Coari, Robson Tiradentes Junior e o candidato a vice-prefeito, Jander Sylvio Costa da Silva.

Os indícios investigados são de abuso de poder político e prática de conduta vedada, com o uso de servidor público em benefício de candidatura política (Veja documento no final da matéria). De acordo com a AIJE, com confirmação no Portal da Transparência, Plácido Izanio Dantas está como servidor público na Secretaria de Estado de Justiça, Direito Humanos e Cidadania do Amazonas( SEJUSC), lotado em tese na cidade de Manaus, recebendo a remuneração mensal de R$ 3.191.80 (três mil, cento e noventa e um reais e oitenta centavos). So que Plácido Izanio também exerce o cargo efetivo de Assistente Administrativo no município de Coari, lotado atuamente na Secretaria Municipal de Governo e Cidadania.

“Constata-se a utilização escancarada de servidor remunerado pelos cofres da Fazenda Pública Estadual para coordenar e presidir a campanha do candidato Robson Tiradentes, aliado político do governador do Estado do Amazonas, ambos integrantes da mesma sigla partidária (PSC), na comarca de Coari”, diz trecho do documento.

A ação ressalta ainda, que o município de Coari está localizado a 363 km de Manaus, sendo que o principal meio de transporte é via fluvial, onde a viagem mais rápida dura 8 horas, além disso, não existe regularidade diário de vôo, razão pela qual é praticamente impossível que o investigado consiga execer ao mesmo tempo duas funções em comarcas diferentes, em lugares distantes, e ao mesmo tempo ainda coordene a campanha do candidato Robson Tiradentes e seu vice.

Por fim o documento afirma que, mesmo que alguns dos fatos abusivos praticados tenham sido anteriores ao fato de o requerido ter oficializado a candidatura, é reconhecido o ilícito, visto que foram praticados com o intuito de influenciar nesta eleição e que tal abuso de poder político, consiste no uso ilegítimo do exercício de função, cargo ou emprego na Administração Pública, em prol de candidatura própria ou de terceiros.

AÇÃO DE INVESTIGAÇÃO JUDICIAL ELEITORAL