Anúncio Advertisement

Corecon indica secretário municipal de Saúde como “Economista Destaque” de 2018

Foto: Arlesson Sicsú.

O Conselho Regional de Economia (Corecon-AM) elegeram o secretário municipal de Saúde, Marcelo Magaldi, como “Economista Destaque do Ano” de 2018. Primeiro economista secretário de Saúde, há pouco mais de um ano e meio, ele trabalha em busca da ampliação dos serviços de saúde e defende a desburocratização do SUS (Sistema Único de Saúde).

A premiação do Corecon é destinada ao profissional da área que contribuiu para o desenvolvimento da ciência econômica e da profissão de economista nas vertentes teórica ou aplicada, com destaque nos cenários regional, nacional ou internacional, nas áreas do conhecimento científico, educacional, cultural e profissional ao longo deste ano.

“Marcelo merece essa premiação pela atuação exitosa à frente de órgãos importantes do Município, em especial, na atual gestão da Semsa. Contamos com a sua contribuição nos próximos anos para o desenvolvimento da nossa profissão”, disse o presidente do Corecon, Francisco Mourão Júnior.

Com 13 anos de experiência no setor público, Marcelo Magaldi Alves, é concursado como economista da Semsa, já tendo exercido diversos cargos na Prefeitura de Manaus, como diretor Financeiro e subsecretário de Finanças da Secretária de Educação (Semed), subsecretário do Tesouro da Secretaria Municipal de Finanças (Semef), diretor presidente da Manaus Previdência (ManausPrev). “De toda a experiência que passei pela Prefeitura, gerir a Semsa é, sem dúvida, o maior desafio da minha carreira”, disse.

Ampliação e desburocratização da Saúde

Uma grande meta da sua gestão é ampliar a cobertura da atenção básica em Manaus, expandindo as equipes de estratégia de saúde da família. Para isso, tem plano para incluir a ampliação da rede de saúde e a residência médica em Medicina da Família e Comunidade, além de já terem criado recentemente a Escola de Saúde Pública de Manaus, que vai capacitar os profissionais da saúde no atendimento básico, evitando doenças e a superlotação nos hospitais. “Nossas universidades ainda preparam os médicos para se tornarem grandes especialistas. Com a Escola de Saúde Pública, pretendemos fazer com que esses profissionais levem a atenção básica para aqueles que mais precisam e que se apaixonem pela Medicina de Família e Comunidade”, explicou o secretário.

Segundo ele, o Município de Manaus é responsável por manter mais de 200 pontos de atenção à saúde, além de possuir uma maternidade, duas unidades fluviais que atendem a população ribeirinha, o Samu e as policlínicas. Para isso, contam com o apoio de mais de 10 mil servidores, que levam saúde de qualidade à população de Manaus.

Com informações da assessoria do Corecon.