Coren-AM vai apurar conduta de técnico de enfermagem acusado de estuprar grávida em Itacoatiara

Técnico é suspeito de dopar e abusar sexualmente de uma paciente do hospital

hospital suspeito

Foto: Divulgação

Uma equipe técnica do Conselho Regional de Enfermagem do Amazonas (Coren-AM) foi enviada para o município de Itacoatiara, distante a 176 quilômetros de Manaus, para acompanhar as investigações sobre o caso da jovem grávida de 24 anos, que foi estuprada no Hospital Regional José Mendes.

O Coren-AM esteve presente na unidade hospitalar nessa quarta-feira (3) para realizar o levantamento detalhado das informações necessárias e para instaurar o procedimento ético contra o suspeito do crime.

De acordo com o presidente do Coren-AM, enfermeiro Sandro André, é necessário realizar diversas ações para cobrar medidas cabíveis em casos como esse que aconteceu no município de Itacoatiara.

“Como órgão fiscalizador do exercício da enfermagem precisamos atuar firmemente para que atos como este sejam averiguados com seriedade. Estamos averiguando todos os fatos para que as medidas cabíveis sejam tomadas”, disse.

A comitiva técnica é formada pelo presidente do Coren-AM, a Corregedora do Conselho, enfermeira Suellen Couto, e a fiscal do Coren-AM, enfermeira Gean Brito.

Relembre o caso

O crime foi divulgado pelo Radar Amazônico no dia 26 de outubro. No dia anterior, a vítima relatou à impressa local que, após sentir fortes dores abdominais, ela procurou o Hospital José Mendes para receber socorro médico.

Segundo ela, durante o atendimento, foi medicada com uma substância desconhecida e depois ficou desacordada. Logo em seguida, ela garante que foi abusada sexualmente por um funcionário do local.

“Fui para sala de medicação para ser assistida e esse monstro veio fazer o meu acesso [venoso]. Uma enfermeira injetou uma porção do medicamento e pediu para ele continuar. Logo em seguida, ela saiu da sala. […] Ele apareceu lá com uma seringa e aplicou em mim sem falar o que estava injetando. Cerca de 10 minutos depois, eu fiquei sonolenta e depois inconsciente. Quando me dei conta, estava sendo abusada”, contou.

Ela contou que o estuprador ainda deixou marcas de “chupões” em seus seios e que sentia fortes dores em suas genitais.

Assistência

A Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM) informou que está prestando assistência à jovem. O serviço de atendimento à mulher vítima de violência, que funciona na Casa de Maria, foi acionado e também prestará atendimento jurídico à vítima de violência sexual.

Em reposta à requisição da DPE-AM, a direção do hospital informou que ouviu a mulher e que esta afirmou que poderia reconhecer o homem.

Além disso, a direção procedeu com o encerramento do contrato do suspeito, identificado como Silvio Nunes Froes, que atuava como vigia (concursado pela Secretaria de Saúde do Estado do Amazonas – SES) e técnico em enfermagem (nomeado pela Secretaria Municipal de Saúde de Itacoatiara – Semsa).