Corpos encontrados em carro tinham marcas de tortura e Iniciais da Família do Norte riscada à faca na pele

Acusados dos homicídios

Acusados dos homicídios

Os corpos encontrados em um Peugeot, de cor preta e placas JNX-8011 são de Carlos Alberto de Souza Paco, o “Careca”, e Leandro Pereira de Aguiar, que teriam sido sequestrados em suas casas, localizadas no parque Mauá, no início da tarde desse domingo (09). Estes são mais dois casos que farão parte das estatísticas da violência no Amazonas onde as execuções se tornam rotineiramente a mando dos chefões do tráfico de drogas – mas com certeza as próximas estatísticas da Secretaria de Segurança vão vir apontado queda nos índices de criminalidade no Estado. Os corpos foram encontrados por policiais militares da 25ª Companhia Interativa Comunitária que abordaram o Peugeot e encontraram os homens mortos, um no porta-malas e outro no banco traseiro.

A abordagem ocorreu na avenida Eixo Norte Sul, no bairro Armando Mendes, Zona Leste de Manaus. Os cadáveres tinham marcas de tortura e eram levados por Thiago Ferreira da Silva, de 28 anos, Marcos Henrique Neves de Lima, de 30, e Leonardo Almeida de Souza, 22 anos, que foram presos em flagrante com um revólver calibre 38 e uma pistola 380.

De acordo com a polícia às execuções são consequência de um acerto de contas do tráfico, uma vez que nas costas das vítimas tem riscado à faca a marca da Família do Norte (FDN), facção criminosa comandada pelo traficante “Zé Roberto da Compensa”, preso no Complexo Penitenciário Anísio Jobim – aquele da gravação da revista Veja em conversa com o subsecretário de Justiça onde disse: “Já falei que quem comanda aqui é nós. A disciplina da cadeia, do Estado, aqui é nós”.

Os policiais militares afirmaram que os três presos estavam levando os corpos dos rivais para serem “desovados” em um matagal da via, que é uma espécie de ramal, mas foram interceptados antes que conseguissem esconder os cadáveres.

Marca da FDN feita a faca

Marca da FDN feita a faca

Fonte: Fato Amazônico