CPI da Afeam: tem cheirinho de pizza no ar!

Dito e feito! O que disse o vice-presidente da Assembleia Legislativa do Estado, deputado Belarmino Lins (PROS) para o Radar, foi o que fez a Mesa Diretora da Casa – ler deputado presidente Josué Neto. Josué não instalou a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), assinada por nove deputados da Casa, para investigar o investimento de R$ 20 milhões da Afeam em uma empresa com sede no Rio de Janeiro, apontada pela Polícia Federal (PF) como “caixa forte da propina” de um esquema de corrupção que seria liderado pelo ex-governador, Sério Cabral. Após saber da notícia, teve deputado dizendo que sentia um cheiro de pizza no ar antes mesmo da CPI ser instalada.

O presidente e sua Mesa Diretora só fizeram uma coisinha diferente do que disse o Belão, mandaram a CPI não pra Comissão de Constituição e Redação (CCJR), mas procuradoria da Assembleia. O que só muda a nomenclatura de onde a CPI foi parar porque o resultado previsto pelo Belão é o mesmo. “A decisão é meramente protelatória. É empurrar com a barriga”, disse Belão ao Radar sobre o fato do deputado-presidente Josué Neto desfazer seu ato de instalação da CPI quando ele (Belão) é quem estava como presidente da Casa.

Entendendo que a CPI preenchia todos os requisitos determinados pelo Regimento Interno do Poder Legislativo, mais de oito assinaturas, um fato determinado a ser investigado e não onerava as finanças da Casa, Belão enviou expediente aos líderes para indicarem os membros da comissão. Ele disse ao Radar que, antes de tomar a decisão de instalar a comissão, ouviu a procuradoria da Casa sobre a legalidade, a mesma procuradoria para a qual Josué Neto mandou o mesmo requerimento de CPI diz que para avaliar a mesma legalidade – entendeu o objetivo, né gente?

Porém, dizem as más línguas – ou seria melhor dizer as boas línguas – que a preocupação com legalidade seria totalmente outra. A preocupante legalidade estaria nos empréstimos que são feitos pela Afeam – ler Banco do Povo do professor – onde tem gente que teria pego R$ 1 milhão pra investir em salão de beleza e dado de garantia apenas um carro usado. Pode gente?

Então, segundo os deputados de oposição e até alguns de situação, a alternativa de Josué Neto foi mandar a CPI pro “forno”, de onde só sairá bem esturricada, quando ninguém mais quiser comer nem um pedacinho. (Any Margareth)